quarta-feira, 2 de setembro de 2015

{Resenha} Do desejo, de Hilda Hilst


Do desejo é um livro de poemas sincero, direto e intenso. Fruto de uma compilação reúne sete livros integrais da autora Hilda Hist (Do desejo, Da noite, Amavisse, Via espessa, Via vazia, Alcoólicas e Sobre a tua grande face), a obra é um deleite para os amantes da boa poesia.

Embora a obra não seja organizada em ordem cronológica, a edição dos sete livros – projetada pela própria autora – tem uma coerência lógica e sentimental profundamente fantástica, instigando no leitor as diversas formas de se desejar o ser amado.

Se na primeira parte do livro, homônima a obra, há um desejo profundamente carnal (visto em versos como o do primeiro poema, que diz: “Hoje, de carne e osso, laborioso, lascivo / Tomas-me o corpo. E que descanso me dás / Depois das lidas”), ao passar da leitura nota-se um desejo etéreo, platônico, destes que se afoga na bebida (como lemos em nos versos de Alcoólicas: “Vai se fazendo tempo
de conquista. Langor e sofrimento / Vão se fazendo olvido. Depois deitas, a morte / É um rei que nos visita e nos cobre de mirra. / Sussurras: ah, a vida é líquida.”).

É notável os jogos de palavras, as estruturas e a musicalidade presentes nos poemas. A composição e cada estrofe aproxima o leitor e a obra, fazendo com que todos nós sintamos o cerne do sentimento ali descrito. É justamente esta proximidade que nos faz devorar cada página e querer conhecer cada vez mais a obra da autora.


Livro: Do desejo
Autor: Hilda Hilst
Páginas: 128
Editora: Globo - Biblioteca Azul
Sinopse: Lançado originalmente em 1992, Do desejo é uma reunião (não uma antologia, como se tem divulgado) de sete livros de Hilda Hilst, produzidos num intervalo de seis anos. Dois deles eram então inéditos: Do desejo (homônio do título do conjunto) e Da Noite. Concebida pela própria autora, a reunião desses livros oferece, na sua disposição não-cronológica, possibilidades originais de leitura que o tornam um livro único, bem diferente da soma de leituras de cada livro particular incorporado nele. Se fosse possível reduzir sua poesia de questões a uma única, Do desejo postula o dilema de sustentar o gozo de um amante particular e viciário em versos que buscam a eternidade e o absoluto.

Livro no skoob.

_________________________________________________________________
Observe também em: Facebook | Twitter | Instagram | Flickr | About me

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Meu momento é agora!

Imagem por: Ava Naves

Deixei de lado as flores, os presentes, as lembranças. 
Não quero viver de um passado em que fui esquecida. 

Deixei de lado os quilos a mais, as angústias a menos... 
O medo não me assusta mais, ele caminha ao meu lado. 
(Seguimos juntos.)

Deixei de lado o que mais me aflige,
ignoro a sua sombra. 
Tirei da caixinha a minha luz, 
que timidamente reassume a posição que nunca deveria ter perdido.

Deixei de lado as promessas, 
porque elas me lembram o quanto você partiu meu coração. 
De lado também ficou a distância física dos bairros em lados opostos 
e, principalmente, a psicológica geleira em que você se escondeu.

Deixei de lado o sonho de casar contigo
E a casa com quintal grande e jardim.

Abandonei para sempre os risos das crianças que nunca viriam a nascer.
Deixei de lado os filhotes pela casa a correr...

De lado também ficou a vida perfeita, intocada.
Foi assim que renasci.

Deixando de lado a sobrevivência, para de fato viver.
Pensando no hoje,
remoer o passado para quê?

Meu momento é agora:
Sem sofrimento, sem apego.

Meu momento é agora:
Sem tristeza e expectativas.

Meu momento é agora:
ainda que um pedaço meu tenha se perdido em meio ao caos que permanece em você.

Meu momento é agora,
porque sei que posso me reerguer com a dignidade que acreditei que nunca voltaria a ter.

Meu momento é agora,
porque o tempo é a cura, e o sono remedia,

Meu momento é agora,
em tranquilidade para novas alegrias.

Este texto faz parte do Projeto Escrita Criativa, que reúne escritores e blogueiros para colocarem no “papel” suas ideias. Quem quiser conhecer mais, acesse a página ou o grupo do projeto. Lá há a lista de todos os blogs participantes. O tema da blogagem coletiva de agosto era o "Meu momento é agora!".
_____________________________________________________________

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

{#aophotoaday} Temas de setembro

Olá, pessoal!
Agosto finalmente está chegando ao fim, dando sua passagem para o mês mais lindo do ano: o meu! :D
E o que setembro está trazendo? Claro, mais um calendário com os temas do mês do projeto aqui do blog. Não conhece o #aophotoaday? É simples! Veja a lista abaixo, tire uma foto sobre a sua interpretação do tema e poste nas redes sociais com a tag #aophotoaday. ;)

#aophotoaday setembro 2015 photo aophotoaday setembro_zpstd1cqgdt.png



Quer ver todas as outras postagens? Dê uma passada lá no grupo do facebook! ;) Abaixo também há um calendário para caso você queira imprimir. ;)


Beijos, queijos e muita criatividade para nós!

_____________________________________________________________

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Buscando um sentido

Foto feita por mim em Puerto Madero, Buenos Aires.

"Onde está o amor?"

A frase era a única inscrição dentro do envelope que ele carregava em suas mãos. O conteúdo precioso não continha assinatura; tão pouco, remetente. Entretanto, aquilo lhe despertou uma inquietude que ele nunca sentira. 

André era um jovem rapaz, no auge dos seus vinte e poucos anos. Quem o conhecia, bonito como era, não imaginava que seus olhos verdes e seu cabelo repleto de cachinhos fossem tão solitários. Agora, quem o via andando por aquela avenida movimentadíssima, assustava-se com sua cara de doido. Estava transtornado, querendo desvendar aquele mistério. Será que finalmente teria a sua resposta?

"Onde está o amor?"

Aquele que sempre fora decidido e objetivo, agora caminhava sem rumo, esbarrando nas pessoas. Sua urgência misturava-se com aquela sensação de que já conhecera aquela grafia tão bela e delicada no papel. Aquele perfume familiar... Aquela dúvida constante. O amor sobrevive ao caos dos escritórios se esvaziando ao fim do horário comercial?! Muitas pessoas. Muitos carros. Buzinas e um coração disparado. "AMOR". Quatro letras que, de uma hora para outra, queriam ganhar sentido na vida do tal nerd garanhão...

Amor. Ele ainda não sabia se era este sentimento que o guiava. Uma vez que não havia nenhuma direção, seguiu o seu instinto: fez o caminho de sempre, atravessando a multidão engravatada, rumo ao por do sol. 

Chegou à Consolação, entrou na livraria. Então a viu ali parada, em meio às obras poéticas. Sua grande amiga tinha um papel - talvez o mais importante nesta história -, o de segurar uma capa que dizia: "o amor sempre esteve aqui".

Este texto faz parte do Projeto Escrita Criativa, que reúne escritores e blogueiros para colocarem no “papel” suas ideias. Quem quiser conhecer mais, acesse a página ou o grupo do projeto. Lá há a lista de todos os blogs participantes. Um dos exercícios deste mês era fazer uma descrição (física e/ou psicológica) de um personagem que estivesse andando na rua com um envelope nas mãos. Meu texto ficou um híbrido de descrição e narrativa, mas eu gostei mesmo assim. E você, o que achou? Deixe a sua opinião nos comentários.
_____________________________________________________________

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

{Vou por aí} Buenos Aires - season 1: o show Tango

O texto abaixo faz parte da série Buenos Aires - season 1 e relata o que vivi na capital argentina durante as férias de julho de 2015.

¡Hola, chiquitos y chiquitas!
Espero que tudo esteja bem com cada um de vocês. Por aqui, tudo incrível!
O post de hoje é para contar como foi a nossa experiência em Buenos Aires com o show tango.



Estar na Argentina é fantástico, porque as pessoas vivenciam o tango a todo instante. Ele serve de trilha sonora nos aeroportos, nos bares, nos restaurantes, nas apresentaçõesde artistas de rua, enfim, é trilha do cotidiano portenho, algo intrínseco a todos.

O fato de ser música ambiente em praticamente todos os lugares nos chamou muito a atenção. É como se os argentinos declarassem a quem quiser ouvir - literalmente falando - o seu amor por este elemento que faz parte da cultura de seu país.

O show de tango

Foto: Café Tortoni.
Moni e eu escolhemos assistir ao show de tango do Café Tortoni e não nos arrependemos. O lugar é um ponto turístico clássico - sendo considerado um dos cafés notáveis, pelo governo argentino - e tem toda uma estrutura e tradição que nos faz querer permanecer lá por horas e horas. A fama vem por ele ter sido frequentado por pintores, jornalistas, escritores e músicos da cultura portenha. Além disso a localização era ótima! Super próximo do hotel em que nos hospedamos.

O espetáculo custou 270 pesos argentinos, mas poderia ter sido pago em reais (75) ou em dólares, e o visitante deve comprar o ingresso com certa antecedência (compramos por volta das 16h, para o show das 20h30 do mesmo dia)*. A mesa é compartilhada entre quatro pessoas (dividimos a nossa com mais dois brasileiros) e não inclui o consumo.

Nós não sabíamos o que esperar e olha, só foi felicidade! Ao chegarmos, fomos encaminhada para a Sala La Bodega, um ambiente que foi uma adega e que fica no subsolo. Muito bacana. :) Lá há um palco em que cantores e dançarinos se revezam cantando - ao vivo - e contando a história do Tango.

Para quem não sabe, este gênero musical nasceu em meio às prostitutas. Segundo o site História do Mundo, a história é a seguinte:

Vista da nossa mesa, antes do espetáculo.
De acordo com recentes pesquisas, no final do século XIX, só a capital Buenos Aires contava com mais de 200 casas de prostituição. A procura pelas prostitutas era tão grande que os homens faziam fila à espera de fácil prazer sexual. Foi quando, a grande circulação de pessoas nas casas de prostituição argentinas deu espaço para a encenação de números musicais enquanto os clientes esperavam a sua vez. Nesse instante, apareciam grupos que intercambiavam suas distintas experiências musicais. A polca européia, a havaneira cubana, o candombe uruguaio e a milonga espanhola firmaram o nascimento do tango argentino.
Em seus primeiros anos, o tango era formado por um trio musical executante de ritmos mais acelerados e os passos de dança tinham muita sensualidade. Só mais tarde que os tangos começaram a ganhar suas primeiras letras. Fazendo jus ao seu local de origem, as primeiras letras descreviam situações libidinosas sobre os prostíbulos e as meretrizes. Por isso, durante algum tempo, o tango era sinônimo de imoralidade. As pessoas de “boa índole” tinham verdadeira aversão à prática desse tipo de música dançante. No entanto, os imigrantes que voltavam para Europa tinham popularizado o estilo, principalmente na cidade de Paris.

O início do tango.

O início do tango.

Conforme o musical vai se desenvolvendo, os cantores trocam de roupas e encarnam outras épocas, até o estilo musical ganhar o status cultural que tem atualmente. Acho que os pontos altos do show foram a apresentação dos boleadores gaúchos, o cantor performando belissimamente El día en que me quieras (escrita por Alfredo Le Pera, gravada por Carlos Gardel, também famosa na voz de Luís Miguel) e os tangos mais famosos: Derecho Viejo, Quejas de Dandoneon, La Cumparsita.



Um vídeo publicado por Fernanda Rodrigues (@fe_notavel) em


Um vídeo publicado por Fernanda Rodrigues (@fe_notavel) em


Um vídeo publicado por Fernanda Rodrigues (@fe_notavel) em

Um vídeo publicado por Fernanda Rodrigues (@fe_notavel) em

O show de tango foi o passeio mais caro que fizemos, mas valeu a pena cada centavo que pagamos. Estar em contato direto com a arte é de encher os olhos e acalentar o coração! ♥ Se você for a Buenos Aires, não pode perder! 

Beijos e queijos! :*

*PS: Todos os valores do post estava vigentes entre 13 e 20 de julho de 2015. Como a inflação na Argentina deu uma disparada, confira antes de ir se ainda continua assim. ;)
_____________________________________________________________
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...