Asas ou gaiolas (Reflexões sobre o amor V)


Certa vez Rubem Alves escreveu que há escolas que são asas e outras que são como gaiolas. Trago agora a mesma analogia para os relacionamentos.

Teoricamente, o amor foi feito para nos dar asas. Vivê-lo, portanto, é sentir-se livre, liberta, bela, sonhadora e saber que há alguém ao nosso lado nos apoiando e nos incentivando, sendo um degrau que nos impulsiona, não um muro que nos aprisiona.

Há, entretanto, um tipo de amor (que eu considero falso) que não dá asas. Ele prende em gaiolas. Este é daquele possessivo, que nos anula e nos priva dos nossos momentos com os amigos, do nosso tempo com nós mesmos. O amor-gaiola é ciumento, cria barreiras, nos impede de progredir, é exclusivo - já que exclui todos ao nosso redor; por fim, ele é sufocante.

Na escola, certa vez, fiz uma experiência simples: acendi uma vela e a cobri com um copo. A chama intensa ficou acesa por um tempo e depois se apagou. Acabou o oxigênio. Assim é o amor-gaiola: ele nos suga, nos sufoca, sucumbe e acaba.

Quando penso em meus relacionamentos anteriores, vejo que todos eles tiveram um pouco de gaiolas. Quando olho para o futuro, desejo um amor que me (nos) faça voar alto! Acompanhados seguiremos sem que nada nos aprisione!

You May Also Like

11 comentários

  1. Respostas
    1. Oi Lu!
      Essa analogia é bacana mesmo!
      Ela sempre me faz pensar em muitas coisas!
      Um beijo,

      Excluir
  2. nossa ficou uma ótima analogia, isso tem tudo a ver! Essa coisa de amor é complicada mesmo, mesmo com toda a experiência, nunca é o suficiente!
    http://rainhap.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas são sempre uma caixinha de surpresa. A frase pode parecer clichê, mas é justamente por serem surpreendentes que essa coisa de amor se torna tão difícil e imprevisível!

      Um beijo e obrigada pelo comentar,

      Excluir
  3. O amor verdadeiro é liberdade, é deixar solto para oportunidades. É cuidar e querer bem;
    Adorei.
    Beijos, Cyn.
    http://ograndetalvez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato! :D
      Quando começa a engaiolar, não é amor verdadeiro!

      Fico feliz que tenha gostado!
      Um beijo,

      Excluir
  4. Ótimo texto. Acho que todo mundo já esteve numa gaiola por alguém alguma vez, mais pelo medo de perder o dono da gaiola do que por não saber como sair dela. Isso é genuinamente UM SACO. Mas sendo ruim ou não, faz parte da natureza humana, e acho que sentir a necessidade de engaiolar acaba por ser "normal", o que diferencia é como o possessivo lida com isso e se deixa se sucumbir a isso. Até eu já engaiolei! Haheaheh mas felizmente hoje em dia tenho a cabeça no lugar certo e meu amor sabe, que eu sou dele e ele é meu, mas porque queremos e não por estarmos presos.

    Adorei o blog! Bjooos
    Rosto de Neve

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Suu!

      Acho que todo mundo já viveu um pouco dos dois lados dessa moeda: já engaiolou e já viveu engaiolado. Como você mesma disse, esta relação de dependência é um saco.

      Costumo dizer para as minhas amigas que um relacionamento (seja ele qual for) é para fazer as duas partes felizes, se não fizer é porque há algo de errado.

      Saudável mesmo, é quando há confiança - assim como no seu!

      Um beijo e obrigada por esse super comentário!

      Excluir
  5. Olá, Fernanda! Tudo bem?
    Gostei do texto. Creio que todo mundo deseja um amor que nos faça voar! :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Biih,
      estou na busca do meu! hehehe

      Obrigada por comentar!
      Beijos,

      Excluir
  6. Fê,
    Estou relendo, interessante além das palavras a imagem!
    E pensando no texto, o tal amor-gaiola aff a gente vê tanta coisa! Eu penso que, desejamos amor, gaiola nunca, um amor que voe e volte por sentir saudades! Muito engraçado hoje estava ouvindo pela miléssima vez a música Beija-Flor!

    "O que faz o beija - flor
    Ter lampejos cor do mar?
    Quando eu penso em você
    Meu desejo é navegar (voar)"

    bjos

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)