segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Nice to meet you anyway (Reflexões sobre o amor VIII)

♫ And the sky opened up
With the soil of the sun
Dreaming of my true love ♪

As pessoas perguntam por que você, depois de tanto tempo. A verdade é que nem eu sei. Não sei de onde veio a vontade de conversar, de te ter por perto. O fato é que eu não sinto raiva. Não mais. Prefiro focar nas boas lembranças. Sabe, ontem estava lendo um texto que dizia que nem sempre a gente fica com o grande amor da nossa vida (e tudo bem). Me lembrei automaticamente de você. E me deu um certo conforto isso. Sempre nadei contra a corrente, não poderia ser diferente agora.

As coisas estão difíceis e tudo poderia ser bem pior se você não estivesse por aqui. Dizer isso é estranho, porque todo mundo sempre quer estar por cima, estar melhor, firme e forte quando volta a falar com alguém que nos fez sofrer. Entretanto, eu cansei de ser forte o tempo todo há tempos. Agora (e é bom frisar que é só agora, já que toda fase ruim se vai), estou em ruínas e quero ter a dignidade de assumir o meu chão, de viver o meu caos, para me reconstruir depois. Não me importo de estar aqui, frágil, quase desnuda em palavras, porque sei que isso vai me fortalecer, me dará asas para voar – e espero que você continue por perto para ver todo o meu esplendor.

Assim como não sei explicar o porquê do nosso contato, não sei dizer bem a necessidade dessas palavras. Pode ser que seja o Natal. Você, talvez mais do que qualquer outra pessoa, sabe o quanto esta data é a minha favorita na vida e tem a noção do quanto este ano foi duro. Pode ser que seja o destino. Realmente, aconteceu porque tinha que ser.

Minhas amigas se preocupam. Elas têm medo de você não ser honesto comigo. Elas viram o caos em que mergulhei quando você se foi da última vez. Eu entendo o ponto de vista de cada uma delas. Foram elas que me puxaram do fundo daquele poço, e o trabalho foi árduo. Sobre isso, sou sincera: se você se importa com esse buraco gigante no meu peito, não sei (esta é mais uma das minhas incertezas). Honestamente, continuo tão às cegas sobre os seus sentimentos quanto quando nos conhecemos. Só que agora tudo bem. Não preciso compreender exatamente o que se passa aí. Pessoas têm os seus mistérios, não é mesmo?

É que eu sou tagarela. Gosto de rasgar o peito e colocar tudo o que sinto para fora. Transformar a angústia em palavras, o amor em cartas, a felicidade em versos, o passamento aleatório em crônicas. Talvez, este seja o motivo real desses parágrafos mal escritos às 02h59, do dia 26 de dezembro de 2016. O silêncio esmurra, mas enquanto as palavras não forem para o papel, não há espaço na minha cabeça para ele na minha cabeça.

Confuso, não é? Eu sei. Pequenos reflexos de mim. Ainda bem que um dia tudo se ajeita (minha virginiana interior louca por organização vai encontrar uma saída para por ordem na casa). Então, não há motivos para preocupações. No mais, I wish you a Merry Christmas and a Happy New Year.

_____________________________________________________________

10 comentários:

  1. oi, oi.

    que texto maravilhoso, Fê! senti daqui o quão sincera cada palavra foi colocada. <3 eu penso assim: devemos ficar ao lado de quem nos faz bem, independente se a pessoa já errou no passado. chances/oportunidades existem justamente pra isso: para darmos as pessoas.

    lamentável o cara ter vacilado contigo, mas, será se ele não se arrependeu? depois tenta investigar isso... se o lance não for pra frente novamente, tenta pelo menos amizade, pq se vc aceitou ele de volta na sua vida, é sinal de que ele foi/é importante.

    enfim... eu te entendo: quando a gente já tem onde armazenar pensamentos, as palavras é uma ótima forma de descarrego. <3

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Adriel!
      Sempre fico tão feliz com os seus comentários! :D
      Ultimamente ando feito o que me dá vontade e não o que as pessoas acham que é certo. Isso tem sido libertador! ♥
      Lamentável mesmo (uahahah). Acho que houve arrependimento (das duas partes, inclusive!), mas não é suficiente para que tenhamos uma relação de casal. O máximo que sai disso é uma amizade. Melhor assim, porque ninguém se magoa de novo.
      E escrever é sempre o melhor remédio!
      Beijos :*

      Excluir
  2. Que texto gostosinho de ler!
    Parabéns, arrasou!

    Beijo grande :*
    Sankas Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thay! Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir
  3. Fê, pra variar tocou fundo meu coração com suas palavras.
    Que texto!

    O amor não faz nenhum sentido, ele dá sentido para algumas coisas, mas ele próprio é imprevisível e não nos dá explicações sobre porque nos faz querer tanto alguém que se foi

    Me identifiquei demais com o texto porque vivi tudo isso, porque de certa forma ainda vivo.

    As vezes a gente só precisa falar, sem esperar nada em troca mesmo, apenas colocar pra fora o que sentimos...

    Que tudo fique bem pra você!

    Beijoo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! :)

      Sempre fico feliz quando alguém diz que se identifica com o que escrevo, mas hoje fiquei duplamente, porque este texto é sobre plantar o bem.

      Espero que a sua vivência neste sentido faça de você mais forte e feliz.

      Que seu 2017 seja pleno.

      Beijos

      Excluir
  4. Passando para desejar um maravilhoso 2017 cheio da presença de Deus, paz, amor, alegria e tudo de melhor!
    Bj e fk c Deus
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...