16 coisas pelas quais sou grata em 2016

Vamos agradecer?

Gratidão é um exercício que eu tenho focado em praticar. Agradecer pelas pequenas coisas, reclamar menos e guardar menos rancor são tarefas que eu me esforcei para manter na minha rotina ao longo de 2016. Não foi fácil, mas foi recompensador.

Então, aproveitando a virada do ano e este clima de retrospectiva que dezembro traz, resolvi fazer uma lista das 16 coisas que pelas quais mais sou grata em 2016 e compartilhar com vocês. Vamos lá?

1. Minha irmã

Em setembro, minha irmã literalmente quase morreu. Do nada. De uma hora para a outra. Em um domingo ela estava ótima, na quinta-feira da mesma semana, na UTI.
Acho que nunca senti tanta dor, angústia e desespero na vida. Uma internação de vinte e poucos dias, uma volta rápida para casa, e outra internação. Estão sendo praticamente três meses de hospital, uma recuperação lenta e dois milagres de Deus (ela estar viva e inteira). Então, sou grata por ter visto a minha maninha linda renascendo e por ela estar aqui comigo.  💚

2. Meus pais

Não sei como eles aguentaram passar por tudo isso com a minha irmã e ainda me verem não conseguindo lidar com esse sentimento desenfreado que descrevi acima. Se não estivéssemos juntos nessa, não teríamos conseguido. Amor e amor e amor envolvidos! Não há outra maneira de descrever.  💚

3. Poder estudar (e ganhar colegas de turma sensacionais)

Depois de todo o drama para escolher uma carreira acadêmica, finalmente me matriculei na pós-graduação, no curso de Formação de Escritores de Ficção. Apesar de todas as dificuldades e da falta de autoconfiança, consegui fechar o ano. Isso se deve muito ao meu esforço (vontade de jogar tudo para o alto não faltou) e em parte aos meus colegas de turma. Eles sempre foram gentis e acolhedores seja comigo ou com os meus textos. O respeito e a gentileza tanto nos elogios, como nas críticas me ajudaram muito a seguir em busca do meu sonho de trabalhar com a arte escrita.  💚


4. Meus amigos


Aniversário Notável #FêFaz30.

As meninas do trabalho que me ajudaram em pelo menos 200 dias deste ano. Meus amigos de vida, que me proporcionaram lembranças tão felizes (como a comemoração dos meus 30) e que foram tão pacientes quando tive que largar tudo para me dedicar a minha família. Meus amigos que chegaram ao longo do ano (como a turma que conheci na viagem de férias a Buenos Aires). Tudo o que posso dizer é que 2016 teria sido muito mais duro se vocês não estivessem ali, torcendo, rezando, orando, pensando positivo por mim. Muito obrigada!  💚

(Só um adendo a isso: em 2016 eu pude reencontrar uma amiga que mora na Alemanha e outra que estudou comigo no ensino médio. Karine e Renata, obrigada por terem feito a diferença no meu ano!)
E Sue, obrigada por se intrometer na minha vida! Sou grata por isso também hahahaha

5. Meus alunos



Vídeo dos Prés I e II B cantando Old MacDonald had a farm, durante o English Day.

Os meus pequenos sempre me ensinam. Eles me mostram até onde consigo ir e quais são as barreiras que tenho que superar para ser uma pessoa melhor tanto para eles quanto para mim mesma. 2016 foi um ano complicado no trabalho, mas também foi um período em que conquistei bastante coisas: ganhei uma sala, fiz as crianças falarem com meninas da Irlanda (thanks again, Geisa!) e um intercâmbio virtual entre os meus alunos e o de duas escolas no México. Implantei um projeto de leitura, o TOEFL e o show de talentos em inglês também foram sucessos! Trabalhei como louca e colhi os frutos disso com eles. Resultado: amor, amor e mais amor 💚

6. All American Tour


Em São Paulo (vejam a cara de besta da pessoa recebendo o abraço do Carter).

Tive a chance de ver o Nick Carter, dos backstreet boys, por três vezes este ano (uma aqui em São Paulo, as outras duas em Buenos Aires) e me sinto muito grata por isso. Estar em uma turnê com qualquer um deles me enche de gás, de esperança, de força e, principalmente, daquele sentimento bom que me lembra que sonhos são possíveis de se tornarem realidade. 😍

Em Buenos Aires (depois de receber o sorriso mais lindo e o agarrão mais gostoso dessa vida).

Aqui foi bacana porque fui com os meus amigos: Bia, Boo, Elton, Jujuba (e conheci a Leslie). Lá foi legal porque além de estar com as amigas, pude conversar com o pessoal da produção, fazer amizade com uma argentina e com uma peruana e ainda arrancar do Nick um sorriso que deixou as portenhas de boca aberta. Muitas lembranças incríveis, dessas que deixam o coração quentinho! 💚

7. Buenos Aires

Eu costumo tentar explicar para as pessoas (o que inclui meus pais) o que eu sinto por Buenos Aires. Não consigo. É difícil pôr em palavras algo tão vasto, tão profundo. Buenos Aires da Naty e do Dan, da Ayumi (da mãe e do padastro dela), da Antonia, do Eduardo. Da Floralis Genérica, do Jardin Japonés, de Palermo com suas árvores peladinhas no inverno, de Puerto Madero e seu frio polar, da recoleta e sua exposição da Yoko Ono no Malba, do obelisco, da Casa Rosada, da Estación Callao (e da Pueyrredón também!). Da minha primeira Quilmes, da minha primeira Corona e da minha primeira tequila. Das pizzas com morrones, da fugazzeta, da fainá, dos alfajores e do dulce de leche. Dos tangos. Ah, minha Buenos Aires de bandeiras flamulantes, espero que a gente se veja de novo em 2017!

8. Literatura


Rê Vitrola, Bia Lombardi, Carol Vayda e eu.

A literatura teve um papel gostoso este ano, não apenas por causa da pós. mas também por conta de tantos amigos talentosos que fiz e conheci tendo como desculpa o lançamento de livros. O primeiro encontro lindo foi com a minha amiga, blogueira, e escritora Soraya Abuchaim. Depois, teve também a tarde com a Rê Vitrola e a Bia Lombardi, no lançamento do livro delas, Criatividade Empática. Além disso, também ganhei o livro Coisa de Menina, da Pri Ferrari, em um sorteio que ela fez no instagram, e o  Elaborações sobre Nada e coisa Nenhuma, dos meus colegas de pós, Ivan Cardoso e Pedro Tavares (sou mega fã de praticamente tudo o que eles escrevem!), então, mais um livro dedicado na minha conta.

Isso tudo me leva ao próximo ponto...

9. Meu encontro com o Carpinejar

Encontro literário feliz! ♥

Foi em 2016 que eu conheci o meu muso literário, Carpinejar. Estava sozinha e super nervosa naquele dia, mas vejam só, ele foi O querido! No fim, ele acabou autografando livros para mim e para as minhas amigas, que não puderam estar na Bienal. Isso foi demais, porque o sonho de uma delas era um livro autografado dele. Além de eu ficar feliz, pude fazer alguém feliz.

Sou fãzona mesmo do Fabrício. Acho muito bacana a multiplicidade dele (é autor, é radialista, é apresentador de TV, é blogueiro) e a espontaneidade que ele conserva em tudo o que faz. Encontrá-lo foi um ponto alto do meu ano!


10. Poder pagar as minhas contas

Em um ano em que o Brasil ficou virado de cabeça para baixo, sou grata por ter um emprego que possibilite que eu pague as minhas contas e ainda sobre uma graninha para o teenismo nosso de cada dia. Não sou rica (ser professora de educação básica e rica ao mesmo tempo é complicado no nosso país), mas não posso me queixar. Fora que a equipe com quem trabalho é formada por pessoas incríveis, que tornam os meus dias especiais. Então, é ótimo pôr a cabeça no travesseiro com essa tranquilidade.

11. Oportunidades


Eu e a Vayda no 2º dia Nacional do Livro de Guarulhos.

Em 2016 eu tive a oportunidade de participar do 2º Dia Nacional do Livro de Guarulhos, em uma roda de bate-papo como blogueira, de ter uma crônica publicada na revista eletrônica Chiclete Cultural e de planejar e tocar uma oficina no 1º Chiclete MultiCultural, também em Guarulhos. As três experiências me fizeram crescer como pessoa e abriram o meu horizonte para outras formas de trabalho que não sejam necessariamente relacionadas ao inglês. Sou grata por ter tantas pessoas que confiam em mim (Vayda, obrigada por ter me apresentado a Janethe e a Camila).

12. Dificuldades

É aquela coisa: ninguém cresce e amadurece passando um dia tranquilo à beira mar (ainda que isso seja fundamental na nossa vida, porque ninguém é de ferro). Então, as dificuldades me ajudaram a:

1. entender melhor quem eu sou;
2. entender o que eu não quero para mim;
3. me ajudaram a escolher um caminho.

Eu ainda continuo naquela crise de "ai-meu-Deus-não-sei-o-que-fazer-da-minha-vida", mas agora já sei qual é o primeiro passo que quero dar. Isso aconteceu por conta de todo o semestre traumático. Como diz uma amiga minha: quando a água bate na bunda, a gente tem que se mexer. Bora lá!

13. Chance de perdoar

Perdoar não é um exercício fácil para mim. Sou dessas que têm memória muito boa e uma percepção bem aguçada para não repetir o mesmo erro duas vezes. Guardar rancor é fácil quando se é assim e, por mais que eu não deseje ou faça mal para quem me magoou, perdoar é bem complicado.

Ao longo dos anos, eu aprendi que o tempo é um bom ajudante nesse aspecto e que isso deve ser feito sem peso no coração e sem levar em conta o que as pessoas irão dizer. Às vezes, nossos amigos e a nossa família querem nos proteger do sofrimento, já que este é um processo que passa por reviver algumas memórias. Às vezes eles nos pedem para "deixar isso para lá", mas se o nosso coração se inquieta, é hora de agir.

Perdoei algumas pessoas. Com algumas delas, retomei o contato. Tem me feito bem e sou grata por isso ter acontecido.

14. Algumas Observações

Sim, o blog e todo mundo que me lê. Vocês são responsáveis por encher o meu coração de alegria, me ajudarem a me desenvolver como escritora e fazerem com que eu não desista dos meus sonhos. Estar aqui faz de mim uma pessoa melhor a cada dia e eu só tenho a agradecer. No ano em que o blog fez 10 anos, posso olhar para trás e sentir orgulho de tudo o que construí aqui. Obrigada por fazerem parte disso.

Só para vocês terem uma ideia, somos:
1170 no instagram, 909 no pinterest, 844 no twitter, 596 no facebook, 286 no Google Friends Conect (e todo o amor do mundo no coração!).

15. Ter o básico

Sou grata por ter um teto, por ter comida, por ter saúde. Isso é o básico para um ser humano viver com dignidade, mas quanta gente (sobre)vive sem essas coisas? Agradeço todos os dias por poder escolher o que quero comer, ter uma cama quentinha me esperando e, sobretudo, por estar bem de saúde.

16. Ter o mais importante

Keep the faith!

Deus. Ele é o meu sustento. Quem me conhece sabe que não sou frequentadora de igrejas e que não tenho uma religião definida, ainda que me considere cristã. De qualquer maneira, isso não interfere no fato de eu ter muita fé em Deus e de acreditar que sem Ele eu não seria nada. É Deus que me dá força nas fases difíceis e me ajuda a encontrar o caminho certo a seguir. Então, sou grata a Ele também.

E você, o que tem a agradecer? Me conte nos comentários!

Beijos, queijos e até 2017! :*
_____________________________________________________________

You May Also Like

18 comentários

  1. Olá Fê.
    Nossa, que barra isso que aconteceu com a sua irmã, nem consigo imaginar o seu desespero, mas que bom que felizmente ela já está se recuperando. Creio eu que nesses momentos difíceis a família será sempre a base que nos manterá fixos no chão. ~mandando energias positivas pra sua família~
    Se tem uma coisa pela qual seremos sempre gratos é por poder escolher as pessoas com quem compartilharemos os momentos mais importantes/difíceis da nossa vida, vulgo uma segunda família, os amigos <3
    Nunca li nada do Carpinejar mas confesso que por auto, me interessa bastante. Quero muito poder ler, logo, algo dele :D
    2016 foi um ano escroto pra mim. Emprego? Vai fazer seis meses que não sei o que isso. Mas espero que próximo ano seja mais calmaria e que eu consiga algo. Preciso sair dessa inercia.
    Você merece isso e muito mais, estaremos sempre por aqui te observando e te animando o dia <3 Bjinhos e boas festas <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, pare tudo e vá ler o Carpinejar!
      Sério! Você precisa fazer isso (seja poema ou prosa). Ele é incrível e é uma pessoa maravilhosa também! ♥

      Sobre esse lance da minha irmã, ele serviu para eu saber quem está comigo nos momentos difíceis e quem não. Então, o aprendizado ficou (nem sempre aquele que a gente julga nosso amigo se importa conosco na mesma proporção).

      Obrigada por estar sempre aqui, interagindo. Isso é de fato muito importante para mim.

      Beijos e um 2017 incrível! :D

      Excluir
  2. Maninha linda!! 💜 Obrigada por tudo!!
    Deus te abençoe 😘

    ResponderExcluir
  3. Uma vez minha mãe sofreu acidente de carro super grave, ficou um tempo em coma e teve alguns ferimentos bem sérios. Passou algumas semanas em quarto de hospital e uma looooooooooonga recuperação em casa. Foi uma coisa muito louca e desgastante. E lendo você agora achou muito louco isso de você ser grata por sua mãe estar aqui, porque eu não tive esse sentimento quando vi minha mãe melhor.
    Deve dar um alívio enorme pensar assim.
    Lógico que eu amo o fato da minha mãe tá aqui. Mas o sentimento de que ela não deveria passar por aquilo é gigante! Falando de maneira bem rasa, talvez eu acredite que o universo fez o que deveria fazer, entende?! Errou quando deixou aquele ônibus atravessar o cruzamento daquela maneira.
    Me revolta é quando o tal do universo é injusto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jade! :)
      Acho que ninguém quer ver quem a gente ama sofrendo. Eu também não acho que minha irmã (ou a sua mãe) deveria(m) passar por tudo isso. Mas estou numa fase em que ando tão cansada do negativismo e das tragédias ao meu redor que entre ficar me lamentando porque isso aconteceu sem dever e me sentir grata por minha irmã estar a cada dia melhor, fico com a segunda opção. Além de ser menos desgastante psicologicamente falando, isso me fortalece para dar força à minha irmã nesta fase tão complicada da vida dela.
      Acredito que tudo vem por uma razão. Agora a gente não entende, mas essas situações nos fortalecem e nos preparam pra algo grandioso!

      Beijos :*

      Excluir
  4. Que post adorável. Enxergar as coisas boas na nossa vida já é ótimo, escrever sobre elas então! Em meio a tantas coisas difíceis que aconteceram em 2016, fiquei feliz de encontrar um post como o seu (fiquei com vontade de fazer um igual, acho que vou fazer um semestral).
    Poder estudar é maravilhoso. As vezes a faculdade me enlouquece, mas eu também sou grata de ter a oportunidade de estudar. Sobre terminar fechar o ano: melhor sensação, né. Conseguir sobreviver.
    Acho que ter amigos, ter a familia perto da gente em momentos dificeis e também avançar, no sentido de evoluir consigo mesma, carreira e tal, são as coisas mais importantes.
    E ah, achei demais essa pos graduação. Não sabia que existia.
    Muita força, luz e amor em 2017.
    4mor-nuvem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nanda!
      Fico feliz que o meu post tenha te dado a ideia de fazer parecido no seu blog. É sempre muito legal inspirar pessoas :)
      Família e amigos são sempre a boa base de tudo. São nos momentos mais difíceis que eles não nos deixam pirar :)
      Feliz 2017

      Excluir
  5. Oi Fê, tudo bem?
    Que post lindo e com palavras que fizeram-me lagrimas várias e várias vezes porque pude sentir toda a sua angustia com o que aconteceu com a sua irmã, mas também toda a sua alegria em realizar seus sonhos mais singelos.
    De coração, espero que seu 2017 seja mágico e que você realize os demais sonhos que possui. E que principalmente você continue sendo essa blogueira querida que eu adoro acompanhar. Sucesso sempre!

    Beijos
    barbfurtado.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Barb!
      Que linda, você! :D
      Obrigada pelas palavras, pela força e pelo carinho. Que o seu 2017 seja cheio de saúde e de sucesso! :D
      Que ele traga mais risos e amor à sua vida ♥
      Beijos

      Excluir
  6. Fernandaaa,
    Que posto maravilhoso de ler! Você deixou um comentário lá no Inventando assunto que me deu vontade de imprimir, enquadrar e pendurar na parede. Acho que preciso praticar mais a gratidão. Sou grata sim, mas muitas vezes me deixo levar pela onda de reclamações.

    2016 foi do cacete, mas foi incrível! Eu fui pra Disney, sai pra dirigir sozinha, continuei empregada em um emprego que além de eu gostar me proporcionou várias coisas legais, além das oportunidades.

    2016 me trouxe de volta para o mundo dos blogs, me trouxe até aqui e eu sou grata por poder ler o que você escreve também!

    Em 2016 eu sofri, eu chorei, mas aprendi muito! E se começo 2017 com vontade de ser uma pessoa melhor, eu posso agradecer a 2016 por todas as dificuldades e aprendizados.

    Fiquei super feliz por tudo de bom que aconteceu com você durante esse ano. E também fico feliz por ter ficado tudo bem com a sua irmã, não consigo nem imaginar o quanto deve ter sido difícil!

    Que você tenha um 2017 incrível e que no final sejam muito mais do que 17 razões para agradecer!

    Um beijo!
    Aline
    Inventando Assunto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiiiiiii Line!
      Então, esse lance da gratidão é engraçada. Porque a gente tem que se policiar para dar certo. :)
      Obrigada por tanto carinho que você teve comigo ao longo deste ano! :D
      É muito bom saber que meu blog é lido por alguém como você!

      Beijos e um 17 incrível para nós :)

      Excluir
  7. Fernanda gostei do teu post, acho que temos que focar nas coisas boas que nos aconteceu durante o ano. Afinal problemas todo mundo tem a diferença é como cada um lida com eles. Que 2017 seja uma ano incrível para você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane! :D
      Obrigada pelas palavras. Que 2017 seja maravilhoso para você também!

      beijos

      Excluir
  8. Ai Fê <3 que post mais lindo e profundo, cheio de sentimentos e lembranças.
    Todas essas dificuldades e felicidades que passamos têm um motivo, é crescer para descobrir cada vez mais quem somos e o que somos capazes de realizar. As dificuldades nos faz crescer para que possamos aproveitar os momentos de calmaria da melhor forma possível.
    Fiquei muito honrada de ter feito parte do seu 2016 e certeza de que meus pais também e a Antonia e o Eduardo! (Outro dia perguntaram como vocês estavam <3 são uns fofos).
    Desejo tudo de bom para você e que seu 2017 seja repleto de coisas boas <3
    Um beijo e feliz ano novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai que saudades de vocês todos! Beijos pra todo mundo aí! ♥

      Espero que nosso 2017 seja incrível! :D
      (E que a gente se veja de novo!)

      :)

      Excluir
  9. Sou grata pela madrinha linda, continua confiando que este ano será muito melhor e terás mais momentos lindos para agradecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. yay!
      Sou grata pela nossa amizade também!
      Que este ano nos seja feliz! ♥
      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)