{Vamos falar sobre escrita?} Entrevista com a escritora Ju Farias

Vamos conhecer a Ju Farias! ♥

Oi, pessoal!

O primeiro post de 2017 da coluna Vamos Falar sobre Escrita está para lá de especial. Como vocês viram aí no título, ataquei mais uma vez de entrevistadora para mostrar para todo mundo um pouco do trabalho da Ju Farias. A Ju é jornalista, escritora em três projetos virtuais (como ela mesma contou na nossa conversa) e terá o seu primeiro livro, Com licença, posso entrar?, lançado nos próximos meses.

Quer saber mais? Então confira o nosso bate-papo. 😉

Ju Farias.

Algumas Observações: Comente um pouco como foi o seu despertar para a escrita. Como foi que você se descobriu escritora e em qual momento você passou a ver a escrita como trabalho?
Ju Farias: Acho que esse despertar nasceu comigo, não sei bem como explicar, mas é a minha missão de vida, com certeza. Eu sou jornalista e trabalho como assessora de imprensa. Escrever é muito mais minha missão do que um trabalho.

AO: Como surgiu o convite para a sua colaboração no A soma de todos os afetos? Conte um pouco do seu trabalho neste site.
JF: A Soma de todos os afetos é um portal incrível que a Fabíola Simões, que é uma escritora espetacular, criou com muito carinho. Eu enviei um texto para publicação e acabei ficando como colunista oficial. Parte de quem acompanha minhas crônicas me conheceu no site e eu sou muito grata aos responsáveis por esse projeto, que dá visibilidade e espaço para artistas, escritores, poetas e jornalistas.

AO: Você também escreve no Demasiado Humano e no O segredo. Como é o seu trabalho nestes portais?
JF: Demasiado Humano é um projeto muito especial e também sou muito feliz em fazer parte dele. Os primeiros textos são postados exclusivamente lá e depois é que são direcionados aos outros portais. Tenho um carinho muito especial pelo site e espero continuar escrevendo para eles durante muitos anos. O portal O Segredo tem uma proposta diferente, onde as pessoas têm acesso aos mais diversos colunistas e conteúdos que visam uma nova forma de ver a vida.

AO: Nos seus textos você costuma falar sobre o amor e outros sentimentos nobres. Como você vê a relação do seu público com a obra que você produz, uma vez que vivemos em um mundo tão caótico e violento?
JF: Sempre digo que estamos vivendo tempos difíceis e que a única solução é amar. O amor transforma tudo e é base para uma vida plena, pelo menos eu acho. Esse mundo caótico precisa de amor urgente para que possamos estar mais felizes, mais saudáveis, mais bem educados e mais assistidos como seres humanos e como país. As pessoas que me seguem são muito especiais, viram amigos e participam comigo de todos os desafios e conquistas da minha vida. O meu público são meus amigos, grande parte deles nunca vi e talvez nunca veja, mas estão sempre no meu coração. Nossa relação é de esperança e é isso que tento passar pra eles a cada mensagem que me enviam.

AO: Como você vê o mercado editorial para os novos autores? Quais são os principais desafios para quem quer publicar?
JF: O mercado editorial brasileiro não beneficia o autor e o que paga o escritor é o amor que recebe dos leitores. A maioria dos autores, aliás, precisa ter outra fonte de renda, pois ninguém sobrevive escrevendo livros, ou quase ninguém. O primeiro (e maior) desafio é achar uma editora que tope tua arte, pois os caras precisam apostar na ideia e só assim o projeto acontece. É um longo processo até que você receba um sim e possa publicar uma obra.


Capa e sinopse do Com licença, posso entrar?, em pré-venda a partir de fevereiro de 2017.

AO: Em fevereiro o seu livro de crônicas, Com licença, posso entrar?, entrará em pré-venda. De onde surgiu a ideia de escrevê-lo e o que você pode adiantar sobre ele para os nossos leitores?
JF: Esse projeto é um convite muito sincero à reflexão. Sem frases difíceis ou palavras muito complicadas, o Com licença, posso entrar? fala com todo tipo de gente e está aberto a qualquer pessoa que queira falar sobre a vida, o amor, os problemas e as várias formas de recomeçar. O que posso adiantar é que quem topar esse encontro vai ser muito amado e cuidado por mim.

AO: Quais são os seus projetos futuros? Já pensa em um site próprio ou no próximo livro?
JF: O meu trabalho como assessora de imprensa segue firme e forte e vai ser assim por muitos anos. 2017 vai ser um ano dedicado ao projeto do livro e vamos fazê-lo “andar” pelo Brasil. A próxima obra já tem até nome, mas o foco agora é o Com licença e todo carinho está sendo dedicado a ele. Não penso em ter um site só meu, gosto mesmo é de estar em vários lugares ao mesmo tempo.

AO: Deixe o seu recado para os leitores do Algumas Observações.
JF: Esse blog é muito bacana, pois fala com um tipo de público muito inteligente, que busca saber sobre os livros do momento, as entrevistas com autores e tudo mais que a Fernanda proporciona a todos nós. Convido aos leitores a conhecerem o livro e fecharem comigo nessa loucura linda que é viver e compartilhar.

Com licença, posso entrar? estará em pré-venda a partir de fevereiro, no site da Editora Autografia e na Livraria Cultura.

Para encontrar a Ju Farias por aí, acesse:

_____________________________________________________________

You May Also Like

4 comentários

  1. Oi Fê,
    A Ju Farias me pareceu o tipo de gente do bem que a gente quer ter por perto sabe?

    Gostei muito da entrevista e fiquei bem curiosa (como sempre) sobre o livro dela! Gosto bastante dessa sua coluna de entrevistas que além de trazer novos autores, coloca eles pertim da gente!

    Um beijo,
    Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!
      A Ju é uma querida mesmo! :D
      Espero que o livro dela seja um sucesso tanto quanto as colunas dos sites para onde ela escreve.

      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)