terça-feira, 4 de outubro de 2011

Desculpe se eu não sou perfeita

Carta aberta dedicada a todos a quem magoei, chateei, emburrei (ou quaisquer coisas do gênero) 
Hoje queria ser como esta árvore solitária. Penso que assim lhe traria menos problemas.

Hoje, quero me desculpar por não ser perfeita. Quero pedir perdão por não conseguir ser um milésimo daquilo que você (seja amigo, parente, vizinho, aluno, colega de trabalho/faculdade etc) pensava que eu era... Me desculpe por ser tão impaciente, por querer tudo perfeitinho mesmo sabendo que aquilo que é a perfeição para mim pode ser a imperfeição para você. Me desculpe por ser tão detalhista e exigir o pormenor do pormenor para a realização de qualquer tarefinha, por mais insignificante que ela seja. Me desculpe por pensar que tudo tem que ser do meu jeito. Me desculpe por me atrasar. Me desculpe por prometer ligar e não ligar. Me desculpe por acreditar ardentemente nas minhas ideias e defendê-las com o amor que (eu acho que) elas merecem. Me desculpe pelas atitudes retrógradas, pelo moralismo, por defender meus valores sem abrir mão do meu ponto de vista. Me desculpe por não ser madura. Me desculpe se não disputo o cargo de “a melhor”. Me desculpe se minha simplicidade parece forçada – juro que não é! - ... Me desculpe por ser tão sincera e dizer o que eu penso na cara, sem medir as palavras. Me desculpe por não aprender como de deve ser (ora guardo demais o que sinto, ora falo conforme os sentimentos surgem no coração). Me desculpe se sou sol, mesmo sendo a lua – o fato é que sou composta pelos opostos do mundo: não sei ser 8 ou 80... e nisto acabo sendo 8 e 80! Me desculpe se não aguento a pressão. Me desculpe por acreditar... Me desculpe por não ser liberal. Me desculpe por não querer ser como os outros... Aliás, me desculpe por não ser, mas por ser o sentir... E por falar em sentir, me desculpe por pensar ao extremo nas pessoas, por colocá-las em primeiro lugar sempre (mesmo sabendo, que muitas vezes, aquele era o meu lugar). Me desculpe por tentar aprender a me colocar em primeiro lugar e sempre acabar fazendo a coisa errada... Me desculpe por aquilo que todos chamam de “drama”, ou seja, por ser tão intensa ao sentir. Me desculpe por comprar brigas, por defender cegamente quem amo (muitas vezes sem pensar nas consequências disso). Me desculpe por ser infantil. Me desculpe pelo ciúme, pela chama ardente que exige ter quem amo ao meu redor incondicionalmente – mesmo sabendo que as pessoas que amo não dependem de mim. Me desculpe pelo medo de perder, medo que me sufoca e desatina a doer – demoro para conseguir o que tenho, transformo meu medo em minha valorização. Me desculpe por tentar agir como sua mãe, mesmo sabendo que você já tem uma que desenpenha muito bem este papel. Me desculpe por estragar tudo. Me desculpe pelas decepções, por todas as brigas, por todas as discussões... Enfim, me desculpe por toda a minha imperfeição e, principalmente, me desculpe por ser tão insegura e completamente dependente de você

PS: Assumir tudo isso não é uma tarefa nada fácil...

6 comentários:

  1. Sua linda, isso faz de você essa pessoa especial e única no mundo!Que desculpa que nada rs*.*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, espero que seja assim mesmo! Tudo dói ao escrever estas palavras! :*

      Excluir
  2. Na boa, jah disse que sou sua fã, mas vim aqui deixar meu carinho no seu blog.
    linda, vc ARRAZA!!
    uns beijos ;*

    ResponderExcluir
  3. Aaaah Tatah, você que é uma fofa! ;D
    É muito bacana ter você aqui como leitora! :D

    Um beijo :*

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...