{Resenha} Amor à moda antiga, de Fabrício Carpinejar

by - 11:24 PM

Carpinejando durante o trajeto de metrô. ♥

Sempre pensei que é complicado definir uma paixão avassaladora com palavras. Ainda mais, quando ela acontece ao fim de uma leitura. Ao fechar o livro, você fica encarando a sua capa com um sorriso bobo nos lábios, um sorriso de quem ama, mas não sabe exatamente o que fazer.

Gosto dos livros do Carpinejar, porque eles me trazem está sentimento ao fim da leitura. É como se o autor publicasse pensando: “este é um presente para Fê” (no fundo, suspeito que seja um presente para todos que têm esperança). Quanto mais leio os livros dele, mais o sentimento floresce. É lindo de se ver!

Comprei o Amor à moda antiga no dia do aniversário de 10 anos do blog. Coincidência ou não, a data acabou refletindo o que está espaço é para mim: um amor à moda antiga. E este foi o prenúncio de mais um momento de conexão carpinejaneana.

O projeto gráfico deste livro é sensacional, já que Amor à moda antiga nasceu em uma máquina de escrever. Uma olivetti littera 82 (como a minha!). As páginas datilografadas foram digitalizadas e as correções foram feitas à mão pelo próprio autor. O miolo, que se altera ora páginas verdes-esmeraldas (cor da máquina), ora em brancas (cor do papel), revelam o cuidado que a editora teve na publicação dos versos do poeta. E que versos!

Ao longo da leitura, quis compartilhar os poemas com todos os tipos e pessoas. Era como se o Carpinejar tivesse colocado o meu sentimento sobre o mundo no papel. Vi-me ali pensando nos relacionamentos que não deram certo, nos que virão, em como o amor é simples e belo em sua inquietude, e no quanto nós complicamos tudo isso. Sorte nossa, que há a poesia para nos lembrar de certas coisas. Sorte nossa que o Carpinejar nos traz esse lembrete com tanta maestria.

Amor à moda antiga é uma pausa na dor dos telejornais, no medo instaurado nas ruas. É aquele sopro de esperança que nos diz que tudo dará certo quando a gente passar a aceitar o amar de forma plena.

Livro: Amor à moda antiga
Autor: Fabrício Carpinejar
Páginas: 112
Gênero: poesia
Editora: Belas-Letras
Sinopse:  Em seu aniversário de 43 anos, Fabrício Carpinejar ganhou de presente uma velha máquina de escrever Olivetti Lettera 82 verde-esmeralda. Desde esse dia, ele se dedica a escrever poemas de amor e a guardá-los como um inventário de seus sentimentos e emoções. Pela primeira vez, esses poemas são publicados, exatamente como os originais foram enviados à editora, sem nenhum tipo de correção ortográfica, edição ou retoques, inclusive com as anotações à mão feitas pelo próprio Carpinejar.
Livro no skoob.
_____________________________________________________________

You May Also Like

3 comentários

  1. Gosto da escrita do autor, mas ainda não li nenhum livro dele. Gostei da dica, as vezes faz bem um pouco de poesia na vida.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto da poesia porque ela nos dá soco no estômago e nos afaga o coração. :)
      Espero que você leia o Carpinejar um dia (prosa ou poesia, porque ele é fantástico nos dois!) e goste do que encontre!

      Beijos

      Excluir
    2. Gosto da poesia porque ela nos dá soco no estômago e nos afaga o coração. :)
      Espero que você leia o Carpinejar um dia (prosa ou poesia, porque ele é fantástico nos dois!) e goste do que encontre!

      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)