Aprendizado

[Papel Manteiga para embrulhar segredos - Cartas Culinárias, de: Cristiane Lisboa]

Acho que este fim de semana me serviu para aprender. Não foi nenhuma técnica, nem algo que eu possa montar um plano de aula e pá! ensinar alguém... Não, não foi este tipo de aprendizado. Foi um aprendizado sobre mim mesma.
Durante este fim de semana, refleti sobre o que sou. Refleti e descobri (ou seria “admiti”?) que sou... Sou romântica.

[Sim, é duro dizer isso! (Risos)]

O fato que eu acho que eu sofro do drama da mulher moderna: sou independente, pago as minhas contas; sou inteligente – ou ao menos busco ser estudando e estudando... Mas, no fundo, lá no fundo, sou romântica. Quero encontrar alguém que goste de mim. Não precisa ser aquela coisa melosa – sou uma romântica moderna então, passo todo o mimimi pra outro! Risos – mas espero encontrar um alguém que... Como posso dizer?! Que tenha a postura de um namorado, sabe?! Que não dependa de mim, mas que construa comigo... Estou cansada de ter que decidir tudo sozinha. Eu já decido sozinha em todas as coisas que eu faço... Acho que já passou da hora de querer ter alguém ao meu lado que me ajude a traçar o meu caminho e que queira fazer parte deste caminho...

Mas voltando ao foco, foi ao longo deste fim de semana que eu aprendi que não posso forçar para que isso aconteça. Essas coisas não estão 100% ao meu alcance. Faço a minha parte – ou, ao menos tento – e quando tiver que acontecer, puf! Acontece. Não posso fazer alguém gostar de mim só porque gosto desse alguém...

O fato é que chegar a todas estas conclusões é muito doloroso. É ruim saber que tenho que esperar... É ruim, porque sei que tenho que esperar, mas não sei até quando. Quando vai acontecer de eu encontrar alguém bacana?! Pode ser amanhã, pode ser daqui a um mês, pode ser ano que vem, pode não acontecer... É difícil lidar com essa espera (que normalmente vem acompanhada da carência e da solidão).

Mas seguindo na minha reflexão de dois dias de pijama em frente a tv/pc, conversar com os meus amigos tem me dado força pra aceitar tudo isso e seguir em frente. Alguns por acreditarem realmente na minha felicidade, outros por acreditarem – mais do que eu mesma – na minha força, outros por lembrarem de mim, mesmo a quilômetros de distância.
Não sei o que seria de mim sem todos eles.

Enfim, acho que é isso.
Quando a gente está tentando se entender, as coisas não ficam bem claras a ponto de serem escritas...

You May Also Like

3 comentários

  1. Vai chegando a certa idade e essas questões começam aparecer!
    Muitas vezes, no meu dia a dia, eu me pego pensando nisso!
    Mas o q podemos fazer é esperar, porque, como vc mesma disse, qdo a gente menos pensa, acontece!

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. [...]"mas espero encontrar um alguém que... Como posso dizer?! Que tenha a postura de um namorado, sabe?! Que não dependa de mim, mas que construa comigo... Estou cansada de ter que decidir tudo sozinha. Eu já decido sozinha em todas as coisas que eu faço... Acho que já passou da hora de querer ter alguém ao meu lado que me ajude a traçar o meu caminho e que queira fazer parte deste caminho..." [...]

    Fato que eu sempre penso nisso também,mas como eu já te disse:O que é nosso tá guardado!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Também estou a espera de alguém que me dé o devido valor, e espero que isso não demore, pois o fato de esperar me leva para o lado de quem nunca irá me valoriza e isso não é bom.

    Beijos!

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)