{Vlog} Cortando e doando o meu cabelo

Uma das melhores coisas que já fiz foi doar o meu cabelo. ♥

Oi pessoal!
Este post é muito especial para mim, porque conta algo que eu sempre quis fazer, achava que não daria certo e, no fim, conquistei. Este é o post sobre o dia em que doei o meu cabelo para as pessoas com câncer. 😍

Eu tenho alguns amigos que já fizeram isso, mas eu sempre pensei que nunca conseguiria deixar o meu cabelo crescer o suficiente para doar. Sabe aquele faniquito de passar a tesoura? Pois bem, sofro dele. Somado ao fato de que meu cabelo perde centímetros nas suas curvas, estava desistindo de conseguir realizar a doação algum dia.

Foto da ida ao salão.
Olha só como o cabelo estava enorme!

O corte

Até que veio 2016. Normalmente, passo a tesoura uma vez por semestre, porque é quando me sobra mais tempo para ir até o salão. Em 2015, cortei no meio do ano e saí um pouco frustrada, então a minha ideia era encontrar um lugar que tivesse mais a ver com o meu tipo de cabelo para o corte do início de 2016. Acabou que em janeiro eu procrastinei e não fui atrás disso.

Vieram as férias em julho, e eu decidi que queria o cabelão nas minhas fotos com o Nickolas. Como não tinha encontrado um salão bacana ainda, decidi cortar na volta da viagem a Buenos Aires, porque no salão antigo eles sempre deixavam o meu cabelo muito mais curto (cortavam com ele molhado, então, quando secava, encolhia) e o corte demorava algumas semanas para ficar como eu esperava. Acabou que eu viajei, voltei e procrastinei novamente.

No meio do segundo semestre do ano passado eu comecei a me sentir incomodada. O cabelo estava começando a ficar enorme e, cada vez que saía com ele solto ouvia das pessoas "nossa, cabelão, hem? Está lindo". Lindo realmente estava, mas como ele pesou, faltava o volume que eu tanto amo. A gota d'água veio quando os meus alunos começaram a soltar um "teacher, seu cabelo tá enorme!", se até as crianças bem pequenas estavam estranhando o tamanho da juba, já tinha passado da hora de cortar.

Onde estava o meu volume? Nasci para ser como o Simba cantando Hakuna Matata.
Hakuna Matata, what a wonderful phrase!

Então, minha irmã ficou doente e as prioridades passaram a ser outras. Quando ela começou a melhorar, prometi que esperaria a alta dela do hospital. Nós nos amamos, temos costumes bem distintos, mas cortar o cabelo juntas já é meio que tradição. 

Nesse meio tempo, a Késsia (minha ex-aluna que todo mundo diz que é minha filha, de tanto que a gente se parece 💚) cortou o cabelo. Quando ela postou a foto no facebook, achei um máximo. Foi aí que ela me disse que havia cortado para doar. Tcharááááán! Veio aquele clique. O meu momento de fazer o mesmo havia chegado. Obrigada, Ké! 💚

Aí começou a saga do salão. Onde cortar? Fiz uma pesquisa rápida até que uma amiga (obrigada, Ísis! 💚) me contou uma experiência desastrosa que teve em um desses salões que está na moda e como conseguiu corrigir o desastre. Foi assim que cheguei ao Lunablu*.

Minha irmã teve alta em 12 de janeiro e, no dia 13, lá estávamos nós, no primeiro corte especializado no nosso cabelo das nossas vidas. Como vocês podem ver no vlog, eu fiquei realmente emocionada e feliz; porque, pela primeira vez na minha vida, eu pedi uma coisa e, quando tudo terminou, eu me olhei no espelho e tive o que queria.



Não se esqueçam de passar no canal, assistir tudo o que tem por lá,
deixar o seu "gostei" e compartilhar com os amigos.

Lá, acabei conhecendo pessoalmente a Cacau, do A tal da Cacheada, que eu já seguia no instagram. Foi uma coincidência muito feliz essa. Eu sempre adoro estar em contato com outras blogueiras e foi muito divertido tê-la comigo nesse vlog.

Foto publicada na página do Lunablu no facebook. O tratamento que fiz nos meus cachos é o LunaRepair.

O que fazer para doar

Depois que saí do salão, fiquei pensando em como ajudar você que também quer doar o cabelo, mas não sabe muito bem como. Pedi lá no facebook que os meus amigos que soubessem de lugares ao longo do Brasil que aceitassem cabelo para doação, que me passassem as informações. Eles foram fantásticos nessa empreitada* e o resultado está abaixo.

Pelo o que eu percebi, as orientações de quase todos os projetos são as mesmas. O que muda em cada um deles é o tamanho mínimo que o fio do cabelo deve ter. Geralmente, esse mínimo varia entre 10 e 20 cm, então recomendo você se certificar com o local que irá receber o seu cabelo antes de passar a tesoura.

Na hora do corte você deve pedir ao cabeleireiro que prenda o cabelo em um rabo de cavalo com um elástico e corte acima dele. Assim você ficará com o tufo do cabelo que irá para a doação preso. O cabelo deverá estar seco, para que não corra o risco de mofar. Então, entre no salão, separe o cabelo que irá para a doação e depois faça tudo o que você quiser com a cabeleira que sobrar na sua cabeça. 😉

Lembrando que todos os tipos de cabelo - com química ou não - são aceitos para a doação.



Onde doar

Abaixo segue um arquivo para download com alguns lugares que os meus amigos me indicaram. Pelo o que vi, aqui em São Paulo, praticamente todos os lugares que fazem tratamento de câncer têm algum projeto que recebe a doação de cabelo. Nos outros estados, porém, a coisa é mais complicada. Em alguns deles as pessoas acabam enviando o cabelo para os projetos daqui ou do Rio - que, por sua vez, enviam as perucas para quem precisa fora desses estados.

Nesse processo também descobri um projeto que fica lá na região Norte e que recebe cabelo para as meninas que sofrem com escalpelamento. Essa é uma causa tão importante quanto as das pessoas que estão na luta contra o câncer, então os dados estão incluídos na minha lista.


Clique na seta para baixo, para fazer o download. 

Ah! E se você souber de mais algum local que aceita doação, por favor, deixe as informações nos comentários, para que eu possa atualizar esta lista.


Considerações finais

Eu era criança quando vi o meu avô morrendo por causa de um câncer. Isso mudou a minha vida e a minha forma de ver o mundo. Hoje, quase quinze dias depois do meu corte, levei o meu cabelo no ICESP - Instituto do Câncer de São Paulo - e posso dizer que há tempos não me sentia tão feliz. Foi incrível saber que os meus cachinhos pode dar um pouco de felicidade para alguém que está numa batalha tão dura. Se você puder fazer o mesmo, eu recomendo com toda a força do meu ser. A satisfação é realmente muito grande! Quanto a mim, não vejo a hora de ter o cabelão de novo, para doar mais uma vez. 😉

Beijos e queijos de um coração quentinho de tanta felicidade! 💚

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.
*Este post NÃO é publi. Eu realmente amei ter ido à unidade Santo Amaro do Lunablu. Fui muito bem atendida lá e não me canso de recomendar para as cacheadas de plantão. Sei o quanto foi sofrido para eu encontrar um lugar bacana, então por que não compartilhar a informação?
**Um beijo especial para todos os amigos que comentaram no meu post, indicando lugares que recebem doação de cabelo e marcando pessoas que eles sabiam que já tinham doado para me ajudar a reunir o maior número de locais possíveis: Ana Caroline, Suelen Dias, Raila SpindolaAline Codonho, Aline Rabinovici, Aline Caxieta, Aline Almeida, Camila Comparini, Camila MP, Patricia Perez, Jujuba Carter, Roger Moreno, Danilo Riva, Mariana Ricardo, Mari Malfacini. Muito obrigada! 💚 Beijos também para a Ísis e para a Cacau, que me ajudaram a gravar no dia. :)

_____________________________________________________________

Share:

4 comentários

  1. Que atitude linda ♥ e que cabelão você tava! Ficou lindo o novo corte.
    Super útil pq eu não sabia que não podia o cabelo estar molhado, por exemplo. Faz todo sentido!

    Muito bacana, mesmo, e falar disso é maravilhoso!

    Um bj
    Re

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Rê, tanto pelas palavra quanto pelo elogio ao corte.
      Se você souber de algum lugar aí em Ubatuba que receba, me avise. Incluo aqui na minha lista!

      Beijos :*

      Excluir
  2. Fê, ameei o novo corte. Achei que ficou bem mais leve, com mais movimento. Mas, acima de tudo, ainda ficou bem mais linda pela atitude! <3
    Infelizmente eu não posso doar meu cabelo, por sofrer de alopecia (se eu fosse doar, seria um mini tufinho rs), o que significa que, além de perder cabelo gradualmente, ele não cresce de jeito nenhum. É difícil explicar o quanto o cabelo mexe com a auto estima, quando muita gente acha que é apenas "frescura". Aquelas coisas que só sentindo na pele de verdade mesmo.
    Sua atitude foi incrível e eu tenho certeza que vai mudar a vida de alguém sofrendo com esse problema.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kari!
      Obrigada por ter compartilhado um pouco da sua realidade comigo. Tenho certeza que você poderá ajudar outras pessoas de outras formas. Espero que você fique bem.
      Cabelo é algo relacionado à identidade. As pessoas têm que entender isso!

      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)