{Resenha} Como um romance, de Daniel Pennac

by - 10:53 PM

Como um romance, de Daniel Pennac, é um ensaio revelador sobre a maneira com que nos relacionamos com os livros. Em sua obra, o autor nos mostra o envolvimento dos pais no processo de contar história, dos professores ao impor leituras e da influência da tecnologia na escolha - ou não - do ato de ler.

De uma forma simples, somos levados a refletir sobre o papel da literatura como presente que nos é contado pelos pais, não como imposição e algo solitário. Pennac defende que isso se perde quando a criança é alfabetizada e, em consequência, "abandonada" à sorte da própria leitura, situação que piora quando a escola entra em ação por meio de um sistema de perguntas e respostas sobre determinada obra. 

De maneira bem-humorada, o autor nos lista os 10 direitos imprescritíveis do leitor: o direito de não ler; de pular páginas; de não terminar um livro; de reler; de ler qualquer coisa; ao bovarismo; de ler em qualquer lugar; de ler uma frase aqui e outra ali; de ler em voz alta; de calar. Com isso, ele traz por terra qualquer ensinamento construído e constituído como máxima pelo consciente coletivo sobre o que é ser um bom leitor. O que nos traz um certo alívio de não ter que carregar uma leitura nas costas sempre que a começamos.

Dividindo-se entre lirismo, ironia e reflexão sobre o seu próprio trabalho, Pennac apresenta suas experiências como professor de literatura (e, portanto, de leitura) e nos faz refletir - de uma forma bem didática - que o problema da falta de interesse pelos livros não é apenas algo brasileiro. As situações por ele trazida são universais e, é praticamente impossível, que nós, leitores, não nos identifiquemos em algum momento. Fora todas as referências literárias, que torna a leitura um caso à parte, e que nos leva a devorar o seu ensaio até o último ponto final.

Livro: Como um romance
Título original: Comme un roman
Autor: Daniel Pennac
Tradução: Leny Werneck
Editora: Rocco | LP&M Pocket
Sinopse: Do alto de sua experiência de professor, num estilo a um só tempo irônico e poético, o aclamado romancista Daniel Pennac investiga as chaves para o mundo da leitura. Como um romance, um ensaio sensibilíssimo, mostra que a magia da leitura perde-se quando o livro deixa de ser "vivo" – quando a narração ao pé da cama, na infância, passa a ser a leitura obrigatória do programa escolar. Lendo para seus alunos, Pennac os fez perceber que Dostoiévski, Tolstói, Calvino, García Márquez, John Fante, todos, não importando a forma escolhida, contam uma história. Para entendê-la, basta voltar ao despudor da primeira infância, de querer tudo descobrir.

_____________________________________________________________

You May Also Like

6 comentários

  1. Oi Fernanda!
    Acabei de conhecer seu blog, parabens!
    Que dica boa, ainda nao conhecia este livro, mas quero ler tbe
    Bjks mil

    www.blogdaclauo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Claudia!
      Seja bem-vinda! :D
      Espero que você goste tanto do blog quanto do livro!
      um beijo!

      Excluir
  2. Oie,
    não conhecia o livro, mas achei muito interessante.
    Vou indicar para alguns amigos.

    bjos
    http://blog.vanessasueroz.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa!
      Espero que eles gostem tanto quanto eu!

      Beijos,

      Excluir
  3. Que indicações maravilhosas temos por aqui...lindo mesmo!
    www.btomporfavor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Compartilhar desse tipo de conhecimento nunca é demais!
      Beijos!

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)