sábado, 9 de abril de 2016

O emprego que nunca tive

(Puerto Madero, Buenos Aires, Argentina)

Dia desses, uma amiga me chamou aos prantos no whatsapp: tinha certeza de que não havia passado na entrevista de emprego, na qual fora indicada por uma amiga. Sua indignação, entretanto, estava no fato de que ela se desclassificara justamente no que melhor fazia. O nervosismo e o estresse fizeram com que ela falhasse, e nós duas sabíamos disso.

Peguei-me, horas depois, refletindo sobre a vida - a minha, não a dela - e sobre como me sinto em uma eterna entrevista de emprego. Preciso satisfazer as necessidades dos meus alunos, de seus pais, das minhas chefes. Preciso entregar textos de alta qualidade na pós-graduação e no meu blog. Preciso me superar sempre, mesmo que às vezes sinta vontade de fazer como a minha amiga e ter um momento de prantos em que as lágrimas carreguem o peso de dentro para fora.

Há um campo em que ainda não consegui colocação no mercado, por assim dizer. Quase 30 anos nas costas e nenhum momento digno de amor. Fui reprovada em todos os processos seletivos por aquilo que melhor ser fazer: ser eu mesma. Intensa, um tanto ciumenta e dramática. O que me faz querer pensar que, de uma forma ou de outra, nasci para a solidão.

Hoje, a mesma amiga voltou ao whatsapp, dizendo que passou em outra entrevista. Ela, empolgadíssima, começa a trabalhar na segunda-feria. Já eu, sem saber ao certo o que fazer, continuo desejando o emprego que nunca tive.

_____________________________________________________________

14 comentários:

  1. Fê achei a cônica linda!!

    Esse emprego você ainda não tem, mas quanto menos espera um processo seletivo está aí para você ser aprovada!

    Beijos

    www.thatsthewayilikeit.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Boo!
      Fico feliz que você tenha gostado! :D

      Espero que tudo dê certo no final! :D

      Beijos,

      Excluir
  2. Olá. Sei bem como é, esses pensamentos de querer ser e não ter como concretizar ou as dúvidas que surgem no decorrer de nossos dias. Espero que você encontre logo, algo que te satisfaça como pessoa e profissional, enquanto isso vamos aguardando. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aguardar é sempre a pior parte! hehehehe

      Beijos

      Excluir
  3. Eu amei esse texto e eu me identifiquei 100% com ele, principalmente com o trecho "O que me faz querer pensar que, de uma forma ou de outra, nasci para a solidão." Esses processos seletivos costumam ser tão desgastantes que já desisti deles, talvez encontre a satisfação que pensava que só esse tipo de emprego poderia dar em outra coisa, não? Amo seu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é. Quando a gente nasce para a solidão, tem que se adaptar.
      É um processo.

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Fê.
    Já falei que me apaixonei pela forma como você escreve? Que texto lindo de ler.
    Sobre esse emprego que você está procurando, eu nunca consegui permanecer nele, nas poucas vezes em que passei na entrevista. Sempre aquela história de não ter perfil. Hoje eu estou mais desencanada, mas oh, a hora que surgir a oportunidade, vamos conseguir nossa vaga!

    Um beijo
    Aline,

    Inventando Assunto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Li! :)
      Obrigada pelo elogio tão sincero! Essa história de não ter o perfil é o que mais irrita, mas a gente não pode desistir, pode?
      Beijos!

      Excluir
  5. Escrevi um comentário enorme e cliquei em 'sair' em vez de publicar. Arrasada!

    Mas ó, resumão:
    1. Nós perto dos 30 somos bombardeadas com um monte de expectativas. Tamo Junta! Não vale a pena encanar nisso, porque só nós mesmas sabemos o que precisamos conquistar ou não.
    2. Solidão não é ruim! Eu sei, sou casada. Mas, o tanto de amiga com boy (e algumas com girls) lixo não tá no gibi. Provavelmente, se tivessem aprendido a apreciar a solidão antes de embarcar em relacionamentos furados seria bem melhor...
    3. E não deixe de ser dramática ou o que for, só aceite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jade!
      Obrigada por recomentar! :D
      Respondendo também por tópicos:

      1. acho que só queria ter alguém para poder compartilhar, sabe?
      2. solidão não é ruim, mas cansa... e às vezes traz consigo a síndrome do "nada dá certo", o que é uma merda.
      3. Aceito. E se vieram reclamar, mando à merda (deve ser por isso que estou sozinha! uahahah)

      Obrigada pelas palavras, sempre tão sinceras!
      Beijos

      Excluir
  6. Fê, achei a crônica profunda e ao mesmo tempo carregada de diversos sentimentos! As vezes não precisamos procurar por algo, só temos que observar bem os lados! Afinal já dizia um poeta:
    "O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você. No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!"

    Bjs

    www.embarcandonaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Dê, ando tão em casa que desanimo de cuidar do meu jardim. Espero que você - e o poeta - tenha(m) razão! :)

      Obrigada pelas palavras de bom ânimo!

      Beijos

      Excluir
  7. Uau. Adorei o texto e super me identifiquei. É incrível como a sociedade vai nos moldando para sermos pessoas que usualmente, não queremos ser. A vontade de "chutar o pau da barraca" e fazer tudo do nosso jeito é grande, mas morar embaixo da ponte também não é opção :/

    Beijos,
    Kemmy - Duas Leitoras|Vem participar da resenha premiada e top comentarista de abril

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A vida é tão complexa que até pra chutar o balde a gente tem que se planejar. uahahah
      Espero que tudo dê certo ao final.

      Beijos,

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...