quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Sofrimento

Créditos imagem: Renan MiguelAlbanezi.

"Vocês não sabem o quanto eu estou sofrendo", ele gritava, "perdi minha mulher e minha filha". As pessoas olhavam para aquele homem que parecia um louco. Tinha barba e cabelos longos, estava sujo e, assim como todos os mendigos, mantinha um ar sofrido. Falava para muitos, porque o ponto de ônibus em frente à saída da estação sempre é cheio; todavia, ninguém lhe respondia e era claro que todos ali se incomodavam não com o que ele dizia, mas com a sua presença.

Ao sair da estação e dar de cara com a cena, a dor me atingiu. Estava atrasada e - devo confessar, o misto de tom de súplica e ódio me assustaram. Passei por ele carregando a minha pressa e culpa pela indiferença que expressei ao não ouvir atentamente a sua dor, por não lhe dar atenção.

Não sei o que o levou às ruas. Pelo o que vi de relance, por trás de toda aquela aparência estavam escondidos traços de um homem bonito. A eloquência do discurso e a forma com que ele empregava as palavras, por sua vez, mostravam que aquele rapaz havia estudado. Era jovem, um jovem que expurgava a sua dor em seus berros em meio ao vazio. Será que alguém teria a coragem que não tive de parar e lhe dar um ombro amigo?

Alguns quarteirões depois, estava eu, sentada na recepção do consultório da minha dentista. Muito adulta e moderna, resolvia algumas pendências usando a internet de meu smart phone. Queria fingir que aquela cena não me impactara e não conseguia. Murmurei uma oração, pedindo a Deus que libertasse o moço do sofrimento. Mas o fato é que eu sofria também, diante da minha impotência.

Saí da consulta e fiz o trajeto de volta. Não o vi mais, ele não estava mais ali. E eu? Bem, eu continuei com ele em pensamento. Espero realmente que algo de muito lindo aconteça na vida daquele rapaz e que, de alguma forma, ele consiga recuperar a família que perdeu.

_____________________________________________________________

6 comentários:

  1. O desespero é algo que consome a alma, te deixa muito mal e sem dúvidas esse homem sofreu demais.
    Ps.: Amo teus posts, sério <3 Tanto aqui quando no facebook, haha

    Beijos,
    tea-with-cake.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Deby!
      Fico muito feliz que você curta tanto assim aquilo que escrevo! <3 Obrigada pelo incentivo! <3
      Quanto a este homem, queria muito mesmo ter feito algo por ele, mas não sabia o que ou como! :/
      Beijos!

      Excluir
  2. É tão triste isso, né? E triste é essa nossa indiferença, esse se importar não se importando com os outros. Eu sou culpada da mesma coisa, já tive vontade de ajudar pessoas na rua, pedindo dinheiro, e não fiz nada. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que é uma luta interna entre ajudar e se colocar em risco. Nossa cabeça fica alerta por tudo o que já ouvimos sobre a violência, já o coração sabe que ali há apenas outro ser humano. A empatia nos move querendo ajudar e a razão diz que é melhor não arriscar. É muito complicado lidar com isso. Eu sempre fico mal com essas situações.

      Excluir
  3. Tem coisas que a gente vê por aí que chocam mesmo. Mas acho que choca mais a sensação de impotência que sentimos, o fato de que não podemos fazer alguma coisa realmente efetiva para o sofrimento alheio.
    Mas você fez o que estava ao seu alcance: uma oração.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Era o mínimo que poderia fazer. :(
      Queria ter feito mais, mas até agora, não sei como.

      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...