[Resenha] Segundos Depois, de Vinícius Márquez

by - 11:06 PM

Página 55 de Segundos Depois.

Poeticamente visceral, assim é a escrita de Vinícius Márquez em Segundos Depois, uma publicação da Livros Ilimitados. Composto por crônicas que abordam temas triviais da vida em grandes cidades, Márquez leva o seu leitor à uma reflexão profunda sobre a busca pelo amor, sobre a relação em sociedade, sobre o desejo (de amar e de transar), sobre quem afinal é Deus, sobre a verdade e a mentira, sobre o erro e o acerto, sobre o modo e o por que de agirmos como agimos. Tido por alguns como poeta maldito - e o "maldito" é aqui empregado com o sentido mais digno que esta palavra pode ter - o autor rasga o verbo, expondo a sua alma e - de certo modo - levando a nós, leitores, para o olho do furacão sentimental que é viver.

"Eu nunca mais te vi, te amei, abandonei, admirei, abominei, senti falta, quis, tirei a roupa, me decepcionei, despachei, alucinei, pedi perdão, voltei, vi o mar, a pauta, a tinta, o coração que batia em minhas mãos... ainda em lugar comum. Fui em festas esquizofrênicas". 
(Vinícius Márquez, in: Segundos Depois - página 112)

Em tom confessional, Márquez conversa com o seus leitores. Isso faz com que a leitura flua de uma maneira que parece que o autor está ali, frente a frente, olhando nos olhos de quem o lê. Por ser claro a ponto de não fazer reservas a uso de palavrões, percebe-se que parte dos seus textos ganham um cunho poético, de quem está desesperadamente precisando colocar os sentimentos para fora. Esta necessidade transforma as palavras em belos textos.

A introspecção que se transforma em poesia é um tanto filosófica. O autor que, sozinho se perde em tantas vozes e gentes, ecoa verdades que levam aos leitores refletirem sobre trivialidades importantes que passam despercebidas (como o nascer e o por do Sol?). Erros e acertos que nos elevam e nos faz querer que a obra não se finde, para que a conversa com Márquez seja infinita, mesmo que seja sentimental, banal ou teatral.

"Eu fui implorar fui por baixo, joguei fora, e me senti o último. Vou procurar terapia. Alguém calmo e centrado, com família, problemas organizados, filhos... para me falar onde eu erro. Eu sei onde. Qualquer idiota alemão, desses que sambam o "tico-tico no fubá", diria que o problema está no desejo. (...) Eu queria dar, comer, queria amar, sumir, morrer... tudo ontem. Estou tão humilhado pela noite não ter sido, ter saído, bebido, por estar menstruado numa lua cheia que truqueira, minguava. Mapa errado. Sou daquele décimo terceiro signo, o tal que o buraco negro chupou, que entrou pelo cano cósmico: o serpentário. Liguei para a ex-namorada... Humilhação derradeira, que se é pra errar erra inteiro".
(Vinícius Márquez, in: Segundos Depois - página 65)

Além do talento do autor, o projeto gráfico do livro é simplesmente impecável. Desde a capa - passando pelo prefácio escrito por Caio Sóh - já somos preparados para a magnificência dos textos que o compõe. A cada etapa, páginas inteiras dão destaques à trechos das crônicas - o que faz com que o leitor se delicie ainda mais em meio ao banquete de caos que é oferecido nos textos. Tudo para que queiramos mais e mais.

"É difícil desejar demasiadamente uma coisa sabendo que a diferença entre correr atrás e ficar lendo um livro, é mínima". 
(Vinícius Márquez, in: Segundos Depois - página 20)



Livro: Segundos Depois
Autor: Vinícius Márquez
Páginas: 140
Editora: Livros Ilimitados
Selo: AB Books
Sinopse: Após seu último e bem sucedido lançamento, o livro de fantasia e ficção científica Os Arqueiros do Rio Vermelho, Vinícius Márquez retorna ao estilo que o consagrou na cultuada obra Amor em 79:05, em mais um lançamento pelo selo AB Books. Em Segundos Depois, o autor solta o verbo e extravasa, divagando sem autoproteções e meias palavras sobre assuntos como amor e relações em geral, religião, passado, presente e futuro. Num mundo onde as pessoas estão cada vez mais contidas e buscam a proteção da internet para conseguir mostrar sua real natureza e propagar suas opiniões, Vinícius Márquez é uma exceção. Ele “dá a cara à tapa”. Com seu estilo próprio, o autor consegue fazer o leitor pensar ao mesmo tempo que o entretém, mesmo quando o assunto é tristeza, pois o transporta de forma direta para suas sensações, percepções e sentimentos. Segundos Depois é uma obra embriagante, perfeita para ficar na cabeceira ou no bar e ser consultada periodicamente, como um Salmo, porém às avessas. Não espere da obra uma ajuda para elucidar seus problemas financeiros ou emocionais, nem conselhos para simplificar sua vida, pelo contrário, você verá que a vida é muito mais caótica do que você jamais acreditou, mas que o caos pode ser muito divertido.
Livro no Skoob.

_____________________________________________________________

You May Also Like

4 comentários

  1. Nooss, adorei ele. Me parece um ótimo livro para ler quietinha no quarto haha
    Beijos ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um livro incrível e bem provocativo!
      Do tipo que nos faz pensar! :)

      Beijos!

      Excluir
  2. Parece uma leitura excelente ♥

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)