BEDA agosto/2018 #27 — Sobre o que está na nossa cabeça


Sente aí, pegue a pipoca e vamos conversar.

Muitas vezes, a cena é a mesma: a gente quer fazer algo que morre de vontade ou que considera importante e pá! Surge uma voz na nossa cabeça que diz: "você nunca vai conseguir. Você não é capaz". Primeiro, essa mensagem aparece em um sussurro; depois, ela cresce até que vira um grito que nos deixa loucas.

Normalmente, isso acontece por conta de medo. Medo de dar errado. Medo de passar vergonha. Medo de sentir dor (seja ela física ou mental). Medo de relembrar um sentimento ruim. Aí vem o primeiro ponto que queria abordar neste post e que vem martelando na minha cabeça há algum tempo: não subestime o medo do outro. Nunca. Never. Jamais.

Sabe aquele seu amigo que tem medo de lugares fechados e evita o elevador? Aquela que não suporta ver um inseto e grita ao ver uma borboleta? O primo que não vai na sacada do seu apartamento por conta do medo de altura? Sim, eles realmente pensam que vão morrer e tudo o que eles menos precisam é a sua "cara de isso não é nada".

Eu tenho um pavor grande de agulhas. Por isso, eu deixo de fazer muitas coisas que as envolvem — desde tatuagens e um segundo furo na orelha à exames de sangue, por exemplo. Em geral, evito falar sobre esse assunto com alguém que não seja a minha psicóloga, porque na maior parte das vezes a reação das pessoas é:
1. "Nossa, mas você tem medo disso? Agulhas não doem" — para ela, isso é confortável;
2. "Mas isso é uma ignorância da sua parte" — como se eu não soubesse o quanto o cuidado com a saúde é importante.
3. Elas simplesmente riem — e isso me deixa profundamente chateada, porque eu estou ali me abrindo e a pessoa está rindo da minha cara.

O que falta, nesses casos? Empatia. Se colocar no lugar do outro e pensar no seu próprio medo. Ouvir, acolher, dizer que as coisas darão certo, indicar a terapia para quem não a faz. Ser minimamente simpático. Não sabe o que dizer? Então, seja sincero e mude de assunto. Simples assim.

O segundo ponto que também vem dançando no trapézio das ideias da minha cabeça é a insegurança. Ontem estava passeando pelo meu feed no Instagram, vi uma mensagem motivacional e um comentário de uma amiga toda tristonha, sendo que ela É MARAVILHOSA! Trabalhar para se enxergar do mesmo modo que os outros nos veem é um processo diário e muito necessário

Às vezes esse é o tema das minhas sessões de terapia, porque nem sempre a minha autoestima está elevada. Bate aquela desconfiança — olha a voz gritando na minha cabeça — de que eu não seja a filha/irmã/professora/blogueira/escritora/revisora que todo mundo diz que eu sou. Aí, até para aceitar um elogio singelo fica difícil.

Sabe o que é o mais impressionante em tudo isso? É que todas essas questões — sejam as minhas ou as suas — estão na nossa cabeça. Muitas vezes é o compartilhar com o outro que nos faz perceber que sim, há uma forma de resolver e de se sentir confortável com a vida. Há um modo de diminuir o volume dessa voz que nos atormenta por tanto tempo.

Sendo assim, o meu conselho é: façam terapia. Busquem indicações de profissionais com amigos que já fazem (às vezes, você pode conseguir um desconto por ser indicação), o CAPS da sua cidade, universidades que tenha curso de Psicologia ou grupos do Facebook (já vi psicólogos oferecendo o serviço a preços populares por lá). E lembre-se que não importa o motivo: você é capaz, você é incrível!

Não sei se consegui dizer exatamente o que queria e se o post ficou compreensível, mas seguimos conversando aí nos comentários.

Beijos, queijos e até amanhã!

_____________________________________________________________

You May Also Like

2 comentários

  1. Bom dia!
    Estou passando com exclusividade em seu cantinho para lhe desejar um dia lindo com muita saúde e paz.
    Estou na biblioteca em que trabalho e nesse tempinho vago, com os alunos em sala de aula, peguei um livro de auto ajuda e li esta frase :
    “Aproveite o dia, aproveite a vida, você merece ser feliz! Alimente pensamentos positivos, deixe um pouco de lado todas as preocupações. Viva o hoje fazendo o que ama, se presenteie com a paz …”
    Me bateu a vontade de visitar os seguidores e amigos e compartilhar essa bela lição.
    Tenha uma semana feliz, livre de todo perigo e com muito amor e paz. Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    Os links dos meus blog, caso um visitante seu deseje conhece-los e seguir. Todos serão bem vindos.
    http://professoralourdesduarte.blogspot.com/
    http://lourdesduarteprof.blogspot.com/
    https://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Fê, tudo bem?
    Parabéns pelo texto, ótimo post!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir

Olá!

♥ É muito bom poder ouvir o que você pensa sobre este post. Por favor, se possível, deixe o link do seu site/blog. Ficarei feliz por poder retribuir a sua visita.

♥ Quer saber mais sobre o blog? Então, inscreva-se para receber a newsletter: bit.ly/newsletteralgumasobservacoes

♥ Volte sempre! ;)