sexta-feira, 2 de outubro de 2015

{101 coisas em 1001 dias} O fim




When you've been fighting for it all your life
You've been struggling to make things right
That’s how a superhero learns to fly
Every day, every hour
Turn the pain into power
(Superheroes - The script)

Oi, pessoal! :)
Espero que tudo esteja lindo por aí.
A postagem de hoje é para contar um pouco sobre o fim da primeira lista do projeto das 101 coisas em 1001 dias, que aconteceu durante na terça-feira, dia 29. Conforme eu comentei lá na página do facebook, a princípio eu tive diferentes sentimentos:

  • O primeiro deles foi a realização: consegui fazer muitas coisas que eu julgava serem impossíveis (algumas delas constavam na lista de sonhos de infância);
  • O segundo foi a felicidade: eu consegui riscar mais da metade da lista (cumpri 59 dos 101 objetivos a que me propus);
  • O terceiro, por fim, foi a frustração, porque sei que poderia ter feito mais por mim. Dos 42 objetivos não cumpridos, boa parte deles estava relacionado à minha saúde e bem-estar - que acabaram ficando de lado.

Passado o susto de sentir tudo isso ao mesmo tempo, parei para analisar se valeu a pena participar da experiência. Pois bem... 

1001 dias! 
Quando a gente resolve fazer uma lista para um prazo tão longo, não têm ideia como o tempo é algo relativo. Pode parecer muito para algumas tarefas, mas para outras é tão curto! Olhando para trás, de novo tive um sentimento ambíguo: ao mesmo tempo em que os 1001 dias foram poucos para dar conta de tudo o que tinha que fazer, também tive aquele sentimento de orgulho sobre tudo o que conquistei e de todas as tentativas que tive para fazer a vida dar certo. Foi um aprendizado intenso que me levou a um autoconhecimento profundo. Criar uma lista e ver como os nossos objetivos mudam - ou não - ao longo de pouco mais de 2 anos e meio é quase que mágico.

Se consegui atingir mais da metade dos meus objetivos foi porque compartilhei a minha lista publicamente. Quando tive a ideia de participar do projeto, algumas amigas (e alguns leitores) resolveram embarcar nessa comigo e isso trouxe mais um peso de importância. Algumas vezes pensei em "desencanar"; porém, sempre que batia esta vontade, me lembrava que sim, tinha um compromisso não só comigo mesma, mas também com todas as pessoas que se inspiraram na minha determinação para elaborarem as suas próprias listas.

Muitos dos meus objetivos tinham relação com criar novos hábitos. Fiquei feliz porque fui bem sucedida neste quesito. Agora bebo mais água, respeito com mais frequência as faixas de pedestre, evito o refrigerante quando tem a possibilidade do suco, consigo mandar os cartões de natal no prazo (sim, eles têm chegado antes do natal! *_*), tenho seguido de fato o meu tratamento odontológico e tenho cuidado do cabelo e das minhas bagunças. Eu sei, são exemplos bobos para algumas pessoas; contudo de grande importância para mim. 

É claro que eu esperava ter um diploma de pós-graduação a esta altura (bate uma tristeza por saber que não fiz porque a PUC cancelou o curso. Mas fico feliz que, finalmente, tenha encontrado outra pós que tenha realmente a minha cara. Espero que tudo dê certo na inscrição!), também é frustrante eu não ter tido coragem suficiente para ter feito o check-up (acho que preciso de ajuda psicológica para fazer isso!). Entretanto o que mais me chateou mesmo foi o fato de eu não ter me dedicado ao que queria aprender e aos lugares que queria conhecer.

Conseguir fazer boa parte das tarefas que dependiam de dinheiro me deixou extremamente feliz. Lembro-me que esta era uma das dificuldades relatadas por outros participantes do projeto, então posso dizer que conquistei coisas com um grau alto de dificuldade. Ao longo destes 1001 dias, consegui me reorganizar financeiramente e este foi um aprendizado e tanto! Comprei quase tudo o que queria, paguei os três soundchecks com o dólar a R$3,50, viajei para Buenos Aires e para o Rio. Para quem recebe o salário de professor brasileiro, estou satisfeita com todas as conqusitas. Muito satisfeita mesmo!

Foi frustrante ver que passei 1001 dias sem alguém ao meu lado. Por outro lado, vivi tantas aventuras ao lado dos meus amigos! Aliás, este foi um período em que eu fiz muitos novos amigos e me aproximei de pessoas que antes eram apenas conhecidos. Muito legal olhar como todos foram imprescindíveis na minha vida. 

Minha última tarefa foi realizada no próprio dia 29. Ela consistia em ler uma carta que escrevi para mim mesma durante o primeiro dia do projeto (acabei escrevendo no segundo, porque passei mal no primeiro). Isto é algo que eu recomendo que você experimente um dia (assim como ter um memory jar!). É claro que eu não me lembrava de nada do que havia escrito. Como comecei o projeto na esperança de mudar de vida (pensem que eu estava tentando sair do limbo que é terminar um relacionamento da maneira mais inesperada que se pode terminar), estava com medo de ter escrito uma carta amargurada. Surpresa eu tive por ver como eu posso ser uma pessoa doce, quando eu quero. Parece que estava premeditando o momento presente e escrevi exatamente aquilo que precisava ouvir. 

Ser gentil comigo mesma, este é um caminho que aprendi a seguir fazendo a minha lista de 101 coisas em 1001 dias. É claro que no "no meio do caminho tinha uma pedra / tinha uma pedra no meio do caminho" e que há momentos em que eu me esqueço completamente - já que a minha natureza sempre quer ver todo mundo bem, mesmo que eu não esteja. Então, este é um aprendizado que fica. Entender que funciono desta maneira já é um começo e tanto.

Ainda estou pensando se farei uma segunda lista. Preciso pensar no que quero para minha vida a longo prazo e ando em meio a uma crise existencial tão intensa que não sei se consigo decidir agora o que quero para os próximos 1001 dias (talvez use este tempo até o fim do ano para pensar sobre e comece em janeiro de 2016). De qualquer maneira, recomendo a experiência. Definitivamente, as 101 coisas em 1001 dias fizeram de mim alguém mais consciente e, sobretudo, mais feliz! :)


You can be the hero
You can get the gold
Breaking all the records
They thought never could be broke

Do it for your people
Do it for your pride
Never gonna know if you never even try
(Hall of fame - The script)

_____________________________________________________________

4 comentários:

  1. Você já começou bem o post com a música do The Script( PORQUE FUCK YEAH, O QUE SÃO ESSES CARAS?AHAHAHAHA)
    E eu amei você ter participado do projeto.Meu projeto é participar dele ano que vem ahahaha

    Gostei muito de saber o que realizou e o que não.São pequenos projetos assim que nos impulsionam na vida em geral né?



    Beeijão ^^
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Carol!
      Que legal encontrar algum da the script family por aqui! :D

      Sobre o projeto, recomendo muito a participação! É muito legal para o auto-conhecimento.

      Beijos!

      Excluir

  2. Fico feliz que conseguiu realizar mais da metade da lista!
    Eu abandonei a minha! Principalmente porque achei que 2 anos era muito tempo e quando vi já está terminando e não cumpri quase nada!
    Mas pensando na possibilidade de ver fazer outra no ano que vem!

    Bjos

    http://thatsthewayilikeit.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boo, acho que a experiência de ter uma primeira lista ajuda no quesito controle de tempo para a segunda! :D
      Espero que vc seja bem sucedida na sua!

      Um beijo :*

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...