O dia em que eu vi o mundo com outros olhos


Buenos Aires vista de cima.

Estava ali, finalmente chegara ao meu destino. Lutei contra todas as amarras, contra todos os fantasmas, contra as ditaduras sociais. Pelejei contra os desejos dos outros, resisti agarrada ao último fio de esperança que não queria deixar morrer. Assim renasci, assim sobrevivi.

Era um dia frio de inverno, e minhas mãos estavam trêmulas. Era a primeira vez que deixaria tudo para trás. Dá para carregar uma vida em uma única mala? O indicador do aeroporto dizia que a minha bagagem pesava 15 quilos, mas o mal sabia ele que o meu peito carregava uma coragem banal e invisível, que secretamente me orgulhava. Deixar o país... Eu, aquela que mal muda de bairro, deixava pai, mãe, periquito e papagaio, deixava emprego, razão, coração partido, desilusão, livros, coleção... Deixei o olhar viciado no dia a dia sem cor para trás.

As nuvens e a sensação de vazio. A expectativa e o medo de algo dar errado. Havia planejado tudo tão bem... O que poderia não ser certo? A conversa fiada no avião, o desvio de rota ao confrontar a frente fria, a turbulência e a permissão de pouso, a cidade que deixava de ser um borrão marrom e se aproxima. Avião no chão. Outro idioma, outras gentes. Eu ali.

O dia em que criei coragem de seguir os meus sonhos, foi o dia em que deixei de ser o que queriam que eu fosse e tornei-me o que sempre quis ser. Renascer é ver o mundo com outros olhos, e lá estava uma cidade encantadora me provando que o milagre existe. Não estava mais cega, revivi.


Este texto faz parte do Projeto Escrita Criativa, que reúne escritores e blogueiros para colocarem no “papel” suas ideias. Quem quiser conhecer mais, acesse a página ou o grupo do projeto. Lá há a lista de todos os blogs participantes. O tema do mês de junho foi "O dia em que eu...".

_____________________________________________________________

Share:

4 comentários

  1. Ia perguntar pra onde é que você foi, mas li nas tags que é Buenos Aires.
    Olha, eu fiz isso tem 2 anos. Fui embora, viagem de umas 19 horas, e sinto que foi a melhor coisa que fiz pra mim. Deixar tudo pra trás dói, mas você cresce tanto.. O mundo é tão grande pra gente ficar parado no mesmo lugar.

    Ainda está morando em Buenos Aires ou esse é um post que você fez pra lembrar-se da sensação?
    Bom, se estiver, continue e espero que seja muito feliz. Se não estiver mais morando lá, escolha outro destino e apenas VÁ :)

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mellanye!
      (Infelizmente) só fui para lá de férias. Quero voltar para ficar um tempo maior - ou quem sabe, de vez. Lá é um lugar incrível que vale a pena todo mundo conhecer! Você foi para lá também ou para outro lugar?!
      Um beijo!

      Excluir
  2. Adorei, Fe! Lindo post, lindas palavras! Tem uma hora que temos que parar de ser quem os outros querem que sejamos e sermos nos mesmas, e lutar pelas nossas vontades e sonhos. E sempre acabe sendo maravilhoso! Parabéns pela coragem. Porque nem sempre achamos fácil (quase nunca achamos fácil).
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lívia!
      Encontrar a coragem é uma luta diária por aqui também. É complicado, mas - ultimamente tenho pensado assim - é um processo muito intrínseco à determinação. Você tem que se determinar a ser corajoso, o que é mais complicado ainda! :P
      Obrigada pelo comentário!
      Beijos :*

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)