Surpresa da vida

Já parou para pensar nas surpresas que a vida lhe reserva?!

Alexandre era aquele típico cara que ninguém reparava, mas que só me trazia problemas. Quando estudávamos juntos no Ensino Médio – e ninguém reparava nele, apenas eu –, sempre entrava em encrencas, porque eu era a menininha que tudo sabia, e ele o garoto que sempre precisava de cola... Por mais que não quisesse, sempre me rendia ao olhar pidão que ele fazia e passava nem que fosse uma resposta se quer.

Os tempos mudaram, e eu não sou mais aquela garotinha ingênua do interior. Mudar de cidade, fazer intercâmbio, cursar um curso superior, fazer pós-graduação, abrir a própria empresa, escrever um livro! Tudo isso muda a vida de uma pessoa; comigo não seria diferente.

Vira e mexe me pego pensando em tudo isso: será que ainda há algo daquela velha Alice aqui dentro? Ou, na busca pelo meu coelho branco, algo se perdeu?! Pensava nisto, quando o telefone tocou, e a voz da minha secretária me disse que um cliente novo havia chegado querendo uma reunião urgente. Devaneios – infelizmente – não fazem dinheiro. Que o tal cliente entrasse.

Para o meu espanto, a primeira frase que ouvi foi um "você não mudou nada", que me deixou no meio do caminho entre o chocada e o emputecida (com o perdão da palavra). À minha frente eu tinha uma versão muito mais bonita, elegante e, por que não dizer, sedutora daquele Alexandre de 15 anos atrás.Agora, me diz só, ele fica perfeito desse jeito, e eu simplesmente não mudei nada?! Tentei fingir que não era a mesma idiota do Ensino Médio, por isso, saí de detrás da mesa dizendo um "boa tarde, muito prazer", na esperança de que ele não me reconhecesse.

– Alice, é ótimo te reencontrar assim tão bem – ele disse sorrindo maliciosamente, depois de medir meu corpo todo com um olhar. Naquele momento, tive vontade de sair correndo, mas me sentia idiota por isso. Sorri, esperando que ele dissesse algo e, ao mesmo tempo, tentando aquietar o meu coração. Ele não disse, e eu também não me acalmei; pelo o contrário, senti meu corpo flutuar quando ele me beijou daquele jeito. O suor frio do nervosismo daquele encontro inesperado deu lugar ao calor vindo de nossos corpos. Aquilo não era certo! O escritório é lugar de trabalho, não de amores! Mas... Quem liga?! Sabia, desde o momento em que ele entrou naquela sala, que teria problemas. O Alexandre é minha mais doce encrenca! Surpresa boa da vida!

Share:

22 comentários

  1. Que delícia de texto!
    Adoro ler coisas assim. Românticas e leves *-*
    Parabéns!

    mundodapoli.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Historinha doce como a vida deve ser! ;)

      Obrigada pelos parabéns! :)

      :*

      Excluir
  2. Super encantada com esse texto.. meio que me imaginei ai... Eu do interior com sonhos altos.. vou mudar?
    ta otimo.. Salvei aki..
    :D
    http://anamenires.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal que você se identificou. Acho que a nossa essência nunca muda! :D

      Um beijo!

      Excluir
  3. Oi Fernanda, como vai você!
    Adorei sua crônica (posso classificar desse jeito?), a pesar de o final ter sido... VOU DAR UMA TAPA NESSA MOÇA! haha XD
    Brincadeira, ele devia ser gente boa, afinal. O segundo nome do meu namorado é Alexandre, estou deixarei esse rapaz passar com o certificado de personagem gente boa. Não mudar nada é melhor do que mudar para pior. E o desfecho só afirma que ela não mudou, afinal u.u
    Aliás, sempre quis usar em algum momento a palavra "emputecida" em um texto. Mas nunca encontro o momento ideal '-'

    Beijos!
    www.nathlambert.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nath, eu ri pra caramba com o humor do seu comentário! :D uahaha Adorei, de verdade! <3
      Eu classifiquei aí como um conto, mas sem problema de você chamar de crônica. Acho que ela o aceitou de volta, porque ele a lembra da segurança que no fundo ela sabe que tinha nos tempos de escola...
      E, nada como um Alexandre nessa vida, não?! uahahah
      Sobre o "emputecida", foi a primeira vez que eu usei e quase censurei aqui... sei lá, fiquei com medo de vocês não gostarem - ou, o que é pior, se sentirem ofendidos de alguma forma - que bom que deu certo! :D
      Um beijo!

      Excluir
  4. que coisa mais linda Fer!!! eu amei! adorei seus textos!

    ResponderExcluir
  5. Amei.. poderia ter uma continuação!
    Beijos, Aline
    http://24diasdeprimavera.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. as pessoas mais inesquecíveis que conheci me traziam problemas, anormais, vieram na vida para marcar, longe do gosto insosso de muitos

    bom texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aquiles!
      Acho que você tem razão no que diz! :)

      Um beijo!

      Excluir
  7. Oi Fê, amores e encrencas juvenis! Concordo com Aline, podia ter a continuação!
    :*
    http://sesobrarpapel.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari!
      vou pensar no caso de vocês! uahahaha

      Obrigada pelo comentário!

      Um beijo!

      Excluir
  8. Olá, Fernanda! Tudo bem?
    Que texto lindo! É leve e com uma pitada de romance! Bem que poderia ter continuação, viu? :)
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa!
      Três pessoas pedindo a continuação! Posso confessar que achei que vocês não fossem gostar deste texto?! Pois é!

      Como disse pra Mari, vou pensar no caso de vocês!

      Um beijo!

      Excluir
  9. ahhh que lindo Fê! concordo plenamente com a continuação! é perfeito! parabéns!

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)