segunda-feira, 5 de agosto de 2019

{Diário de Gateira} Fui adotada por uma gatinha! | BEDA agosto/2019 #5

Camomila quando ela ainda não era minha, em uma das suas visitas para pedir comida.
Quem acompanha o blog há algum tempo sabe que eu sou a humana de uma gatinha super levada chamada Poesia. Já quem me acompanha nas redes sociais viu que uma outra felina apareceu por aqui. A ideia não era que ela ficasse, mas agora não vivo mais sem!

A qualidade não está boa,
mas esse foi o dia em que a Camomila apareceu pela primeira vez.

A história toda começou em um dia no mês de março. A gente percebeu que a Poesia estava muito agitada na janela e, quando saiu para ver, tinha um gatinho bem filhotinho no quintal. FAMINTO. Meu primeiro impulso foi dar ração, claro.

E é claro que o gatinho, que depois descobri que era uma fêmea, voltou. Uma, duas, três, muitas vezes. Duas vezes por dia. TODOS OS DIAS.

Uma das vezes em que ela veio pedir comida.

Fiz várias postagens no Facebook, no Instagram e no Twitter, tentando achar um lar para aquela que a minha irmã nomeou de Camomila. Falei com os meus amigos gateiros. Nada. Ninguém queria. Ou porque já tinha outros gatos, ou porque não queria uma fêmea, ainda mais sem castrar.

Por aqui, a casa estava em pé de guerra. Meu pai, que mal queria a Poesia, não aceitava (e, se a gente for ver, ainda não aceita) outro gato em casa. Para piorar, o inverno estava chegando e me partia o coração saber que a Cacá estava por aí, no frio e na chuva.

Foi então que eu comprei a briga, levei a Cacá no veterinário. Fizemos o teste de Fiv e Felv, dei o anti-pulgas e, então, a coloquei para dentro de casa e a preparei para castrar.

Pós-castração.

Castração feita, ninguém aparecia, a Camomila foi crescendo, foi ficando, até que me apeguei. Aliás, não só eu, porque ela fez um bem gigantesco à Poesia. Sendo assim, decidi que ela ficaria mesmo com o meu pai torcendo o nariz e a chamando de "a intrusa".

A personalidade dela é completamente diferente da Popô. É interessante demais vê-las juntas. Enquanto a Poesia quer brincar O TEMPO TODO; a Camomila faz aquilo que a gente ouve todos o gatos fazendo: come, usa a caixa de areia, se lambe e dorme em um ciclo infinito. Por isso, apesar de a Camomila ser a filhote e a Poesia a adulta, costumo dizer que parece o contrário. Além disso, a Popô ama um colo e a Camomila detesta com todas as forças do ser dela, apesar de ser carinhosa e de pedir cafunés para as mulheres da casa.

Camomila e Poesia em um pós-almoço da vida.

Achei que a adaptação entre as duas seria tranquila, já que a Popô sempre reclamava se a gente colocasse a Camomila para fora de casa. Entretanto, foi a Cacá querer brincar com os brinquedos da Popô que o arranca rabo se deu. Descobri que a Poesia é uma baixinha muito ciumenta que não tem medo de briga. Já perdi a conta de quantas vezes disse a ela que o nome dela deveria ser Mônica. 

Agora, elas se amam e quem acompanha o perfil da Poesia no Instagram já deve ter visto as duas juntas por lá.

Cacá, minha tigresinha. 
O que me chamou a atenção da história é o fato de a Camomila ter aparecido aqui, muito bebezinha, sem estar junto com a ninhada. Provavelmente ela foi mais um daqueles casos em que o dono jogou a gata fora só porque ela é fêmea, sabe? Isso é muito triste. Fico aliviada por ela ter me achado e por vê-la forte e grande (ela é bem maior que a Poesia!), toda serelepe a brincar.

_____________________________________________________________

3 comentários:

  1. Que coisa mais fofa! Adorei conhecer mais um pouco de como a Poesia ganhou uma irmãzinha. Eu não consigo entender como as pessoas podem se desfazer dos animais. =/

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  2. "Ques" gatinhas mais lindaaas! Que atitude mais linda também, ter adotado a Camomila ♡

    ResponderExcluir
  3. Oi, Fernanda como vai? A sua gata "Poesia" é um felino de sorte ganhou uma companheira inesperadamente. Os felinos são animais muito dóceis quando domésticados, contudo em seu habitat natural são criaturas ameaçadoras não é mesmo? Veja o leão, onça, tigre, até mesmo o gato do mato são animais ferozes, de qualquer modo é interessante ter uma criatura como a "poesia" dentro de uma residência. Adorei as fotos, abraços!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá!

♥ Quer comentar, mas não tem uma conta no Google? Basta alterar para a melhor opção no menu "Comentar como:". Se você não tiver uma conta para vincular, escolha a opção Nome/URL e deixe a URL em branco, comentando somente com seu nome.

♥ É muito bom poder ouvir o que você pensa sobre este post. Por favor, se possível, deixe o link do seu site/blog. Ficarei feliz por poder retribuir a sua visita.

♥ Quer saber mais sobre o Algumas Observações? Então, inscreva-se para receber a newsletter: bit.ly/newsletteralgumasobservacoes

♥ Volte sempre! ;)

Algumas Observações | Ano 13 | Textos por Fernanda Rodrigues. Tecnologia do Blogger.