O comportamento desafiador das crianças e a Disciplina Positiva

Como ser legal e ensinar regras? Como não ser autoritário e ser gentil?
Imagem por Pexels, sob licença creative commons.

Olá, pessoal!
Raramente eu falo de Educação por aqui, mas tenho notado um número crescente de amigos que vêm me perguntando como eu lido com os comportamentos desafiadores dos meus alunos em sala de aula - principalmente das crianças pequenas. Então, resolvi contar um pouco de como eu faço isso.

Em 2013 eu migrei oficialmente dos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio para a educação infantil e anos iniciais do fundamental. Foi uma época de incertezas e inseguranças, uma vez que a minha formação acadêmica era voltada para o público mais velho. Como ensinar crianças tão pequenas era a dúvida que pairava na minha cabeça.

Nessas horas a gente segue o conselho do tio Sherlie.

Entre milhões de pesquisas, acabei parando no curso de extensão universitária de Formação de Professores de Inglês para Crianças e Adolescentes, da professora Bete P. Rodrigues. Foi lá que, entre outras coisas, conheci a Disciplina Positiva.

Usando as palavras da professora Bete, a Disciplina Positiva é

é uma abordagem sócio emocional que ajuda pais e educadores a desenvolver nas crianças e adolescentes habilidades de vida, tais como: autodisciplina, responsabilidade, cooperação, habilidades para resolver problemas.

O que eu mais gosto nessa abordagem é que ela nos ensina a não ser firme demais, nem gentil demais. Além disso, ela nos leva a entender o outro de uma forma extraordinária. Com ela, deixei de focar só na indisciplina e passei a tentar compreender as razões que levam os meus alunos a serem indisciplinados. Entendendo as razões, consigo sanar o problema de forma efetiva (a longo prazo), ao invés de apagar o incêndio apenas. 

Fonte: Bete P. Rodrigues.

A minha identificação com a abordagem da Disciplina Positiva aconteceu porque ela é baseada em 5 critérios básicos que são muito coerentes com o que eu acredito que seja ideal na educação de uma criança:

1. Conexão com a criança (para desenvolver nelas um senso de aceitação e importância);
2. Respeito mútuo (é gentil e firme ao mesmo tempo);
3. Efetiva em longo prazo (considerar os efeitos da punição);
4. Ensina habilidades de vida valiosas para a formação de um bom caráter (cooperação, responsabilidade, autodisciplina, resolução de problemas entre outras);
5. Desenvolve autonomia porque a criança reconhece seu poder pessoal.

O resultado disso tudo é uma relação muito mais honesta e sincera entre mim e as crianças e um processo de aprendizagem em que todos se sentem encorajados a serem pró-ativos e a perceberem nos erros a oportunidade real de novas formas de ver o mundo.

Para quem quiser saber mais sobre o assunto, ficam as recomendações:

Livros:


  • Disciplina Positiva.
    • Autora: Jane Nelsen
    • Tradução: Bete P. Rodrigues e Samantha Schreier
    • Editora: Manole
  • Disciplina Positiva em Sala de Aula.
    • Autores: Jane Nelsen, Lynn Lott, H. Stephen Glenn
    • Tradução: Bete P. Rodrigues e Fernanda Lee
    • Editora: Manole

Cursos:

A professora Bete P. Rodrigues ministra cursos, palestras e workshops sobre o tema. Para saber mais, entre em contato com ela pelo site ou pela página do facebook. Além da formação de professores, já fiz alguns desses cursos sobre a Disciplina Positiva e recomendo. 😉

Beijos e queijos :*
_____________________________________________________________

You May Also Like

2 comentários

  1. oi, oi.

    que post lindo, Fê! tenho certeza de que as tuas dicas irão muita gente, inclusive irei enviar já o link pra minha teacher, já que ela também lida com muitas crianças. <3 acredito que compartilhar experiências é sempre a melhor forma de ajudarmos o próximo. ;)

    vou te confessar uma coisa: quando eu era adolescente, sempre quis ser professor. eu pegava pinceis e riscava a parede dando aulas pra minha turma imaginária. era tão lindo aquilo... com o tempo, percebi que ser professor era algo que exigia muito empenho, amor e paciência. paciência é algo que me falta, então, "abandonei" esse desejo. :(

    tenho certeza de que os teus alunos te amam muito, porque pq mais que vc esteja acima deles, vc deve tratá-los muito bem. caso contrário, tenho certeza de que não estaria recebendo cartinhas deles. ;)

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
  2. Muito importante sua postagem, com certeza muitos educadores precisam ler e refletir. Parabéns! Com esse pensamento do Padre Fábio de Melo, desejo a você e sua família tudo de bom no dia de hoje e que no futuro venham dias melhores e felizes.
    “Você é quem decide o que vai ser eterno em você, no seu coração.
    Deus nos dá o dom de eternizar em nós o que vale a pena, e esquecer definitivamente aquilo que não vale...”
    Abraços da amiga Lourdes Duarte.

    ResponderExcluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)