{D.I.Y.} Passo a passo de como eu fiz o meu bullet journal

Se você também quer ter um e não sabe por onde começar, seus problemas acabaram!

2017 chegou e com ele, decidi começar um Bullet Journal. Esta experiência será nova para mim, que sempre fui habituada com agendas, mas que vinha encontrando dificuldades em encontrar um modelo ideal para as minhas necessidades.

O bullet journal (BuJo ou Diário em Tópicos, no bom e velho português) foi criado pelo americano Ryder Carroll. Este é um sistema que permite que você misture a ideia de agenda (com datas importantes, calendários, listas de tarefas e eventos) e diário (com coleções que permitem que você anote e metrifique metas, hábitos, notas e qualquer outra informação que julgue importante).

Pasta no Pinterest

Desde o último bimestre do ano passado comecei a me interessar mais sobre o assunto. Por isso, decidi abrir uma pasta no pinterest, para colher ideias de como fazer seja em conteúdo, seja em forma. Lá, eu vi desde os modelos mais minimalistas até os que tinham mais ilustrações e frufrus.

Escolha do caderno

Hello from the other siiiiiiiiiiiiiide





O site oficial do BuJo é muito claro quando diz que "all you need is a notebook and a pen" ("tudo o que você precisa é de um caderno e uma caneta"), mas quem já conferiu tanto no pinterest quanto no instagram, sabe que as possibilidades são muitas quando o assunto é esse.

Como esta também está virando a moda do momento, há pessoas que cobram os dois olhos da cara por um caderno personalizado. Há modelos prontos, em que todas as seções são guiadas para que você preencha com a sua informação; modelos que são parcialmente prontos, com um misto de partes para preencher e páginas totalmente em branco e a opção começar do zero - que foi a escolhida por mim.

Acabei comprando um caderno sem pautas da spiral (há também a opção com pautas, para quem gostar). Paguei R$18,90, lá na Kalunga. Conto o preço e o local, porque já vi na internet bullet journals custando mais de quatrocentos reais (acho muito dinheiro para um caderno só!!!). Então, se você for fazer o seu, fique atento a isso. Outro aspecto que considerei, além do preço, foi o tamanho e o peso, uma vez que eu quero carregar o meu BuJo por aí. 


Arquivo-Índice

Com tanta informação disponível, chegou o momento de selecionar o que queria. Fiz isso abrindo um arquivo de word e a pasta do pinterest. Li os links e selecionei as ideias que iriam para o meu bullet journal, no arquivo do editor de texto. Neste momento, também pensei em algumas necessidades pessoais (abrir um espaço para o blog e para a pós-graduação, por exemplo).


O que normalmente todos os bullets journals têm

Meus bullets e seus respectivos símbolos.
Durante a minha pesquisa, descobri que quase todos os bullets journals são compostos por temas, páginas numeradas, frases curtas (nada de fazer textão, porque a ideia aqui é trabalhar com praticidade para não se sentir desestimulado) e tópicos. Tudo isso é organizado nos registros rápidos (rapid logs, em inglês).

Para fazer um registro rápido, você deve escolher e escrever o nome de um tema (um título curto para o assunto abordado naquela página). Abaixo dele, deve anotar os tópicos (bullets), usando as frases curtas. Normalmente os bullets se dividem em:
  1. Tarefas (itens que incluem ações. Por exemplo: comprar um livro, levar as crianças na escola, organizar o armário, colocar gasolina no carro, pagar a faculdade);
  2. Eventos (itens que podem ser agendados ou anotados depois de terem acontecido. Por exemplo: aniversário do meu pai, assinatura de contrato, consulta médica);
  3. Notas (são compostas por fatos, ideias, observações, pensamentos e anotações para serem lembradas. Por exemplo: a academia fechará no próximo sábado).
Cada bullet tem o seu próprio símbolo e pode vir acompanhado de um outro que acrescente significado (importante, pesquisar, prazo final etc.).

Um dos espaços de visualização do meu registro mensal. 

Além da estrutura de anotação, há uma estrutura quase padrão de organização. Ela é composta por:

  1. Índice (Registros rápidos e o número de suas páginas);
  2. Registro do futuro (future log) - onde você escreve o que não tem data fixa, mas que não quer perder de vista;
  3. Registro mensal - onde você organiza o seu mês. Consiste nos dias da semana com suas respectivas tarefas e eventos;
  4. Registro diário - onde você organiza a sua rotina. Uma recomendação do site bulletjournal.com é que você escreva nesta parte um dia antes ou conforme as tarefas forem acontecendo. Isso porque você nunca sabe ao certo quanto de espaço diário irá precisar;
  5. Migração - espaço para reagendamento de tarefas/eventos que foram adiados ou não-realizados dentro do previsto.

Mão na massa

A palavra do ano é coragem. Que venham novas aventuras.

Não tenho habilidades de desenho, então optei por uma versão sem muitas ilustrações. Além disso, o fator praticidade pesou: fiz tudo de caneta preta (com uma ou outra exceção), porque sabia que se fizesse todo colorido só usaria o meu journal em casa, para que ele fosse sempre todo bonitinho. Como o meu objetivo não é esse, foquei no que é viável para mim: tudo de caneta preta (que é a que sempre carrego comigo). Quando você for fazer o seu bullet journal, não se esqueça de aliar o seu objetivo à funcionalidade (e se fazer colorido funciona para você, por que não?).

Conforme fui colocando as informações no caderno, pintei de amarelo no arquivo-índice do word o que já tinha feito. Alguns dos itens acabei mudando a ordem e aglomerando conforme ficasse mais prático.

Aos poucos as datas importantes ganharão espaço aí.

O que o meu bullet journal tem (por enquanto)

Mudei um pouco da estrutura padrão (acabei não fazendo índice) e o meu ficou assim:
  1. Abertura;
  2. Palavra do ano (sempre escolho uma espécie de lema para o ano que se inicia);
  3. Calendário anual;
  4. Aniversários e feriados;
  5. Metas;
  6. #temasaophotoaweek:
    1. Temas do projeto,
    2. Explicação do modo manual da câmera;
  7. Legenda (ícones e nomes dos meus bullets);
  8. Como vai você? (Esse é uma espécie de gráfico para eu saber mensurar como foi o meu 2017, mentalmente falando);
  9. Filmes do mês;
  10. Livros lidos;
  11. Estatísticas de leitura;
  12. Pós-graduação:
    1. Início e fim de cada bimestre,
    2. Nomes das disciplinas,
    3. Data de rematrícula,
    4. Espaço para o meu projeto de TCC;
  13. Escrita criativa:
    1. Referências,
    2. Palavras/expressões para evitar,
    3. Palavras/expressões que dão força ao texto,
    4. Palavras preferidas,
    5. Vocabulário novo,
    6. Histórias de seis palavras,
    7. Citações de grandes autores;
  14. Algumas Observações:
    1. Mídias sociais;
    2. Colunas;
    3. Ideias de post
  15. Cuidado pessoal (lista de tudo o que me faz feliz);
  16. Ideias de presentes (porque eu nunca sei bem como presentear as pessoas);
  17. Trabalho:
    1. Calendário com datas importantes,
    2. Espaço para ideias e projetos;
  18. Mês de janeiro:
    1. Abertura,
    2. Registro mensal (calendário e objetivos para o mês);
    3. Registro mensal (tarefas e eventos);
    4. Registro mensal (comprar / pagar);
    5. Registro mensal de gratidão;
    6. Registro semanal (lista de tarefas para a semana, acompanhamento das metas/hábitos da semana, registro do que virá na semana que vem).
Fiz o meu BuJo está bem adaptado à minha vida de escritora/professora/blogueira. Além disso, ando numa fase em que quero desacelerar e cuidar mais do meu psicológico (2016 foi estressante demais!), por isso pesquisei como as pessoas com um perfil parecido com o meu se organizam. Fazer isso me deu muitas ideias e foi fundamental para escolher esta estrutura.

Não abri o registro diário, porque até agora o mensal e o semanal me bastam. Talvez em fevereiro (quando acabarem as férias e o bicho começar a pegar mesmo), eu precise começar a separar as tarefas em diárias.

Metas e temas do #aophotoaweek

O que eu mais gostei até agora

Quatro aspectos me chamaram atenção:
  1. Ao planejar o meu bullet journal, parei para pensar em áreas da minha com uma riqueza de detalhes com que nunca havia dedicado antes.
  2. Escrever tudo isso pode parecer trabalhoso, mas como havia feito o processo de pesquisa e seleção do conteúdo antes de começar, foi tudo muito rápido. Além disso, senti que o processo de fazer o BuJo arejava a cabeça.
  3. A liberdade de criação e adaptação é tremenda, o que ajuda a estimular criatividade. Parece bobo, mas só de pensar em como fazer o conteúdo caber na página do jeito que eu quero já me faz pensar na solução desse problema de maneira que a estética e a praticidade combinem. 
  4. Senso de "eu consegui!!", quando tudo fica pronto,  é forte e gostoso. Super recomendo!

Bem, é isso! Espero que as dicas sejam úteis. Se vocês tiverem experiências com o bullet journal ou forem começar um, me escrevam aqui nos comentários! Estou curiosíssima para saber como é ter um BuJo para vocês. Será ótimo trocar figurinhas. 

Beijos e queijos :*

_____________________________________________________________

Share:

20 comentários

  1. Consegui ver seu post!o/
    Eu também estou usando o Bullet Journal, eu ia montar um planner ai comprei um caderno com pauta, logo depois que comprei conheci melhor o BuJo e resolvi fazer! Eu desenho bem mal é o meu não tem muitas ilustrações tbm, mas as vezes arrisco algumas coisas. E to morrendo de orgulho do meu ♡♡♡
    O mais complicado pra mim ta sendo lembrar de atualizar.To sincronizando o uso com o habitica e logo pego o hábito kkkkk
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bia!
      Feliz que você conseguiu ver o post! :D Essa sensação de orgulho é tão gostosa, não? Estou adorando isso!
      A minha atualização tenho feito sempre antes de dormir. Isso me ajuda a planejar o dia seguinte!
      Conte mais sobre o habitica! ;) Ainda não conheço!

      Beijos

      Excluir
  2. Oi Fê, como foi sua passagem de ano?
    Nem vi muitas fotos - porém queria - mas já fiquei encantada com seu bujo. Estou usando esse método desde agosto do ano passado e olha, tenho que falar, foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Estou mais organizada e nunca mais me desesperei na hora de procurar algo. Tudo em um só lugar é bom por isso, você sempre vai saber onde está. Mas me admirei viu, como conseguiu colocar tanta coisa aí? Meu primeiro bullet, que inclusive fiz post no blog quando comecei, era mais experimental, foi só pra saber se eu realmente me identificava com o metodo. Comecei um esse ano, só que bem mais simples, sem muito desenho e tal. Está mais minimalista pra combinar com a vida, mas quem sabe, mais pra frente eu dê a doida de novo e comece a desenhar novamente, rs. Eu acho que se eu tivesse levado as inspirações do pinterest tão ao pé da letra eu nem teria começado o meu. Mas o importante é adaptar as nossas necessidades e dar a nossa carinha. Amei o post :)
    Bjinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nath!
      Então, estou pensando em fazer um álbum dele no flickr ou um vídeo específico mostrando os detalhes. Espero que consiga fazer isso logo, aí posto aqui no blog.
      Ver o pinterest ajuda se você estiver com adaptação em mente. Se não, fica doida e acaba desistindo mesmo!
      Adaptar é fundamental para dar certo. Bom saber que você também tem, assim já sei com quem pegar dicas!
      Beijos,

      Excluir
  3. Desde criança eu sempre mantive cadernos com listinhas em geral. Lembro que tinha até uma página com uma listinha de brincadeiras, que servia para que eu pudesse escolher a que mais me aprazia naquele momento, rs.
    Com o tempo, esse caderninho deu lugar a agendas com datas, afazeres, obrigações e todas os perrengues que a vida de adulta traziam.
    Hoje em dia eu ainda procuro manter listinhas de livros lidos (graças ao skoob) e datas importantes (graças ao calendário do celular), mas, ultimamente, larguei um pouco as listas de afazeres. Eu me pressionava tanto para cumprir tudo, que acabava resultando em uma ansiedade crônica. Faço coisas conforme lembro, as que não lembro, deixo para lá e vida que segue.
    Quero ver se, com esse tempinho, eu possa finalmente me acalmar e aprender a separar o que é, de fato, importante. Para que essa sensação incrível de "eu consegui!!" que você descreveu possa voltar a acompanhar minhas listinhas e não apenas a frustração dos itens não cumpridos :/
    ps.: não sei por que o blog não entrava aqui ontem. Bom, pelo menos agora está normal de novo o/
    Beijinhos, Fê =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kari.
      Acho que, no seu caso, você pode procurar o quadrante de gerenciamento de tarefas, porque ele justamente divide o que é urgente, o que é importante e o que não é. Talvez, visualizando as suas tarefas nesse quadro, você se organize de forma que não gere ansiedade.
      Espero que dê certo!

      Beijos :*

      Excluir
  4. Seu Bojo ficou lindo, como eu ainda não tenho muita paciência para isso, comecei comprando uma agenda. Uma das coisas que me faltou muito em 2016 foi organização, espero que eu consiga melhorar esse ano. Eu estou amando essa sua inner journey. Fico feliz em ver o quanto você cresceu.
    Desacelera sim, Fê. Vai te fazer um bem danado.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cah!
      Espero que a gente se veja em 2017, para que você possa vê-lo ao vivo. Sobre organização, agendas ajudam. Meu problema com elas é que falta espaço para quem gosta de escrever como eu, complica.
      Eu tbm não sei bem até onde vai essa inner journey, mas tenho gostado muito dessa fase! :D
      Espero conseguir colocar os pés no freio qdo voltar a trabalhar!

      Beijos! :*

      Excluir
  5. Oi Fê!

    Eu li seu post, mas não tive tempo de comentar antes! Adorei seu BuJo! Suas "coleções" ficaram bem legais e gostei de ver que não sou a única que não quis as entradas diárias. Ano passado isso não deu certo! No final de 2016 eu já tinha tirado elas porque eu não escrevia as tarefas e porque também não tinha tanto o que fazer assim, sem contar minha rotina de trabalho que as vezes me permite chegar em casa, tomar banho e dormir somente! haha.

    Coloquei este ano, o calendário do ano todo, as metas do ano (aqui são coisas que quero fazer esse ano e também aquelas resoluções que comentei no blog), depois coloquei uma página para os livros que LEREI esse ano (espero que seja mais do que ano passado). Ai passei para o mês, fiz o calendário, as prioridades do mês, um espacinho para idéias de post, os filmes e séries que eu vi no mês, a página de gratidão, uma página para registrar coisas legais no mês e um tracker para as metas do 101 em 1001. A partir daí serão as entradas semanais e no mais vou usar o Bujo para escrever rascunhos dos posts pro blog porque já vi que funciono melhor com papel e caneta! Acredito que agora eu consigo me dar bem com ele. Sem dramas!

    Verde é lindo demais! adorei o seu caderno!

    Que o Bujo seja uma ajuda a mais para você alcançar seus objetivos.

    Um beijo,
    Aline
    Inventando Assunto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline!

      Gostei de como você organizou o seu também! É legal ver como a personalidade de cada um dá vida ao BuJo! :D

      Sobre o caderno verde, verde é a minha cor preferida nessa vida!

      Que seu Bujo registre um ano incrível! :D

      Beijokas!

      Excluir
  6. Fiz o meu ontem. Básiquinho, mas fiz! Agora vamos torcer para conseguir manter a organização! haauhauha

    www.carolvayda.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há de dar certo! :D
      Temos uma meta, não é mesmo? uahahahah

      Beijos!

      Excluir
  7. Oi Fernanda! Guria, quanta organização, quero ser assim quando crescer!! :D <3 Puxa, desde que meu moleskine preferido acabou :(, não consegui começar um novo caderno pra vida... Acabei me viciando nas planner sheets mesmo, pela praticidade, e pela possibilidade de recomeço (i.e., se um plano der errado, é ok amassar o papel, imprimir outro e reescrever, não é mesmo? rsrs). Enfim, mas to cheia de caderninhos aqui... vou ficar olhando pro teu post mais vezes pra ver se a inspiração fica de vez <3
    Bjs, até +!
    Rebeca

    http://blogpapelpapel.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rebeca!
      Então, essa mania de organização é típica do meu lado virginiano. Ela me ajuda a ter objetivos, sabe? O que eu vejo de vantagem do BuJo em relação ao planner sheet é que você faz do seu jeito. Eu vi vários planners como modelo e fui adaptando às minhas necessidades. Por enquanto, tem dado muito certo!
      Se você tentar fazer o BuJo, me conte!

      Beijos :*

      Excluir
  8. Fernanda adorei esse teu post. Esse ano entre minhas metas é ser uma pessoa mais organizada e produtiva e ver esse postagem me deu várias ideias para colocar essa meta em prática.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane!
      Fico feliz que o meu post tenha te ajudado a se inspirar na sua meta de organização produtiva!
      Espero mesmo que dê certo!
      Beijos

      Excluir
  9. Eu comecei a usar o bujo desde novembro e amo sentar e escrever nele, sério! Relaxante! É uma forma de pensar maiw nos meus objetivos, mais em mim e me distrair. Escrever tudo assim no papel me acalma, o bujo é uma terapia ❤️

    www.meuolharmagico.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jana!
      Então, compartilho do mesmo sentimento de amor pelo BuJo!
      Quanto mais faço, mais quero fazer. É um momento de cuidado comigo mesma.
      Esse momento é sempre especial no meu dia.
      Beijos

      Excluir
  10. Oi Fê,
    Andei pensando em fazer um bujo também e vim pegar umas ideias no seu blog. Hahaha
    Acho que vou aproveitar o feriado pra tentar.
    Parabéns pelo seu. Ficou bem completo!
    Beijos,
    Aline

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Line!
      Fico feliz que o meu vá te ajudar de alguma forma! :D Espero que você curta esta experiência tanto quanto eu :D
      Beijos

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)