BEDA agosto/2018 #3 — {Diário de Gateira} Cio e castração da Poesia — Parte 1


Olá, pessoal!
Hoje eu quero compartilhar com vocês como foi o processo de cio e castração da Poesia. 

Antes de mais nada, quero lembrá-los que cada veterinário adota uma conduta para essa questão do cio e da castração. Alguns fazem castração pediátrica, outros preferem esperar o primeiro cio antes de castrar. Também reforço que o processo de castração e de recuperação é diferente dependendo do sexo do animal. Pelo o que vi nas minhas pesquisas, o gato macho se recupera muito mais rápido do que a fêmea.

A veterinária da Poesia, achou melhor esperar o primeiro cio para castrá-la. Enquanto isso, demos todas a vacinas que um gato precissa tomar.

Contudo, a minha grade dúvida era: como perceber que o processo do cio começou e terminou? Tanto a vet, quanto as amigas gateiras sempre me davam as mesmas respostas: você vai saber, ela vai ficar diferente. Na minha ansiedade, de novo, eu revirei o YouTube, porque queria imagens.



O Cio

No dia 21 de maio (segunda-feira), a Popô começou a ficar estranha, principalmente à noite. Ela correu mais do que o costume, enquanto se esfregava nas nossas pernas sempre que tinha oportundade. Na hora em que todos fomos dormir, ela miou um pouco (coisa que nunca havia feito). Achamos estranho e ficamos um pouco preocupados, porque na semana anterior alguns gatos de rua que estavam no cio andaram sobre o nosso telhado. Sabíamos que se ela continuasse miando, eles voltariam.

Nos dias que se seguiram, ela continuou miando antes de dormir. Na quarta, minha mãe reparou que ela estava querendo se esfregar no chão, mas o ápice mesmo, veio na quinta, quando voltei do trabalho.

Cheguei a minha casa e vi uma pequena reunião: meu pai, minha mãe e a Poesia estavam na sala. Meus pais nem me deram "oi", mandaram na lata: "Nanda, esta gata está no cio". Tentei manter a calma e fiz uma massagem que vi em um vídeo do YouTube. Foi assim que tive certeza. A danada ficou toda rebolativa querendo um amor para chamar de dela.

De quarta para quinta, não dormi. Ela começou a miar à noite (e a querer sair também) e não conseguia parar. Dava desespero de vê-la naquele estado. O miado do cio, para quem não conhece, é muito mais alto e prolongado que o miado comum. Passei a noite em claro, andando com ela pela casa, fazendo a tal massagem no dorso para tentar aliviar a necessidade de cruzar. Ela miava por 20 minutos, recebia massagem por mais uns 20 e cochilava no meu colo pelo restante da hora. Se eu me mexesse, mesmo que fosse bem lentamente, ela acordava e tudo estava perdido. Se conseguisse aguentar ficar parada, eram 20 minutos de sono, para tudo recomeçar outra vez.

Lá no no meu Instagram, há um destaque chamado Poesia. Nele, há um story com os miados.

Acordei acabada na sexta-feira. Por sorte, este é o dia em que não tenho aula na escola. Meus pais ficaram com ela de dia, para que à noite eu pudesse cuidar dela novamente. Levei o meu colchão para a sala, de modo a evitar que ela ficasse miando nos quartos em que os outros membros da família dormiam. Foi bem puxado.

O processo de cio durou uma semana e foi melhorando aos poucos. De domingo para segunda ela já miou bem menos e tudo foi voltando aos eixos. Como foi bem na semana em que vivemos a greve dos caminhoneiros, acabei não indo ao trabalho na segunda e na terça, o que me ajudou a administrar o sono e o cansaço.

De qualquer modo, posso dizer que tive sorte. Há gatas que chegam a ficar 15 dias no cio. Graças a Deus o da Poesia não foi tão longo, porque eu não sei se iria aguentar. Meu conselho a todos que querem ter um gato é: adote castrado e não passe por todo esse estresse que nós passamos. ONGs que trabalham com resgate e doação de animais já doam os bichinhos castrados, vacinados e vermifugados, e o novo dono fica livre de tudo isso.

A castração

O cio da Poesia acabou no meio da greve  caminhoneiros que, por sua vez, foi seguida pelo feriado de Corpus Christi, sendo assim, fomos à clínica veterinária apenas na semana seguinte. Explicamos toda a nossa saga para a dra. Natália e ela foi enfática: entre um cio e outro são 21 dias. Se você quer castrar, tem que correr. Se ela entrar no cio de novo, teremos que esperar todo o processo terminar para fazer a castração.

Juro que corri mais que o Bolt. Naquela semana mesmo, fizemos todos os exames pré-operatórios e aproveitamos para testar para Fiv e Felv. Na segunda seguinte, ela fez o eletrocardiograma. Na quarta, ela operou.

No próximo post do Diário de Gateira, vou contar um pouco de como foi o dia da cirurgia e a recuperação da castração.

Até lá! 
_____________________________________________________________

You May Also Like

4 comentários

  1. Que legal o post, obrigado por compartilhar suas experiências!!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  2. Muito interessante mesmo. Gatos e cachorros são diferentes né?! A minha Neguinha castrou antes do primeiro cio a pedido do veterinário. No dia, ela ficou hospitalizada por cerca de 3 horas. Levei a pequena pra casa toda grogue da sedação e ela tremia muito de frio porque a pressão estava baixa. A castração foi na sexta de manhã e no sábado ela já estava saltitando por aí.
    Bj e fk c Deus
    Nana
    https://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gatos são bem diferentes de cachorros e são seres extraordinários! ♥
      Que bom que tudo deu certo na castração da Neguinha tbm. :)

      Beijos

      Excluir

Olá!

♥ É muito bom poder ouvir o que você pensa sobre este post. Por favor, se possível, deixe o link do seu site/blog. Ficarei feliz por poder retribuir a sua visita.

♥ Quer saber mais sobre o blog? Então, inscreva-se para receber a newsletter: bit.ly/newsletteralgumasobservacoes

♥ Volte sempre! ;)