Curvilíneo

by - 12:00 PM

Feliz amor novo!

Nas linhas retas
escrevo estes versos tortos
sobre os dissabores
do amor amargo
que é um eterno parto
do etéreo viver.

Nas linhas,
longas e infinitas,
sinto a dor da partida
de um distante desviver.

As linhas retas
são as privilegiadas
pelo sortilégio
do peso antigo.
São elas que carregam
o desejo secreto
do amor pelo melhor amigo...

_________________________________________________________________
Observe também em: Facebook | Twitter | Instagram | Flickr | About me

You May Also Like

6 comentários

  1. Legal, vc escreve muito bem! Este poema traduz o que vc sente? Vc já amou realmente em segredo algum melhor amigo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Anônimo,

      acho que se fosse tão segredo assim, não estaria aqui no blog, né?! :P
      Se você se identificar um dia, quem sabe eu não lhe conte todas as histórias dos meus amores e desamores?!
      (Pode deixar o seu nome! Não mordo! uahahaha)

      Beijos e queijos! :*

      Excluir
  2. Oi, Fê.

    Lindo este texto.
    Tão profundo

    Beijos! Fê :*
    http://fernandabizerra.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fê!
      Fico feliz por você ter gostado!
      Um beijo!

      Excluir

Não deixe de observar também!

Sempre vou responder ao seu comentário por aqui; mas, se você deixar o seu link, farei questão de ir observar na sua morada! ;)